Santiago Norte: Santa Catarina já tem Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável para horizonte 2017-2027

 

Assomada, 09 Nov (Inforpress)- O município de Santa Catarina (ilha de Santiago) já dispõe do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável para horizonte 2017-2027, que contempla um conjunto de acções que vão proporcionar um desenvolvimento “integrado e harmonioso” em diferentes localidades.

A informação foi avançada à Inforpress por fonte da autarquia, sublinhando que o documento, o primeiro a nível do país, já deu entrada no Ministério das Finanças e na sede das Nações Unidas no arquipélago.

O plano foi elaborado em quatro messes e contou com participação de 26 pessoas, entre técnicos da autarquia, professores universitários, vários consultores, alguns dirigentes da administração central, empresas, ONG, munícipes, com o intuito de se ter um plano “inclusivo e integrado”.

“O plano está substanciada, através de um quadro lógico de intervenção que tem grandes linhas orientadoras do desenvolvimento do concelho e praticamente define uma estratégia integrada e operacional de desenvolvimento do território”, disse em declarações à Inforpress, o vereador da Administração e Finanças, José Luís Semedo.

Este desenvolvimento, conforme explicou o autarca, consiste em um conjunto muito concreto de acções destinadas a promover melhorias de condições urbanas, rurais, económicas, sociais, culturais, patrimoniais, ambientais e paisagísticas e gerar um território com “uma identidade reforçada, mais coeso e apto” para atrair oportunidades que dinamizem o seu tecido económico e social.

De acordo com vereador, o plano terá duração de 10 anos se encontra divido em quatro dimensões (sociocultural, económica, política e institucional e ambiental), contendo ainda 24 eixos, 100 programas e 300 projectos e que abarca todo o concelho.

O objectivo, explicou o autarca, é o fazer com haja um desenvolvimento “integrado e harmonioso”, em diferentes localidades.

Entretanto, indicou que o este instrumento , que vai ter orçamentos com base no resultado, está alinhado com o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) 2017-2021 do programa do Governo e com os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas, ajuntando que assim como os outros municípios que vão ter que elaborar um plano semelhança, pretende ajudar o país a atingir tais o ODS.

É que, segundo o vereador, Santa Catarina é o primeiro concelho a fazer este “exercício”, mas sublinhou que, obrigatoriamente, qualquer município para ter financiamento do exterior ou do Governo tem que ter plano para poder negociar, mostrando a disponibilidade da câmara em ajudar as congéneres.

Por outro lado, esclareceu que os 300 projectos do plano, que é um orçamento de longo prazo, vão ao encontro das prioridades de cada pelouro, que será materializado como o de curto prazo, ou seja, o orçamento.

Acrescentou a mesma fonte que a cada quatro anos faz-se a avaliação, mas que os projectos relativos as áreas do turismo e ambiente serão feitos através dos contratos-programa com o Governo, no âmbito do Fundo do Ambiente e do Fundo do Turismo.

“O plano é interactivo e dinâmico, e pode ser alterado a qualquer momento, tendo em conta o mundo globalizado. A sua execução será no próximo ano, através do orçamento para o ano económico 2018″, enfatizou.

FM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos