Santiago Norte: JpD alerta jovens que maior forma de fazer o “elevador social” funcionar é através da educação (c/áudio)

Assomada, 10 Dez (Inforpress) – O presidente da Juventude para a Democracia (JpD) alertou hoje os jovens da região Santiago Norte, onde se concentra a “maior bolsa de pobreza” do País, que a maior forma de fazer o “elevador social” funcionar é através da educação.

Euclides Silva falava à imprensa, no final da sua visita à Universidade de Santiago, em Assomada, Santa Catarina, para se inteirar dos desafios que o ensino superior se coloca em Santiago Norte, e a dinâmica e o modo de funcionamento dessa instituição do ensino superior privada com 10 anos no mercado.

O líder jota reconheceu que essa região tem um número significativo de jovens que terminaram o 12º ano, mas que não trabalham e nem estudam, defendendo que estes têm que ser inseridos no sistema do ensino e produtivo, através da formação profissional.

Aos jovens que ambicionam fazer ensino superior, Euclides Silva assegurou que há condições para o fazer nessa região, que de momento, conta com duas universidades, referindo-se ao Poló III da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), em Achada Falcão, Santa Catarina e à US.

Para os que almejam estudar na US, lembrou que uma “boa parte” dos alunos tem estado a receber apoios para bolsas de estudo da Fundação Cabo-verdiana de Acção Social Escolar (Ficase).

A este propósito, lembrou que só para este ano a Ficase vai atribuir 1000 bolsas de estudo, um número que a JpD considera “bom”.

Não obstante, tais apoios para o ensino superior, Euclides Silva disse entender que é necessário fazer mais por esta região, onde segundo ele, se concentra maior “bolsa de pobreza” do País.

Nesse sentido, instou aos jovens, sobretudo, os da região Santiago Norte, a optarem por estudar nas universidades nacionais e na sua área de residência, tendo avisado que “a maior forma de fazer o elevador social funcionar é através da educação”.

Na ocasião, adiantou que a JpD vai fazer um trabalho de sensibilização junto das câmaras, das famílias e do governo, visando incentivar os estudantes a optarem pelas universidades nacionais, em vez das estrangeiras.

É que, segundo a mesma fonte, uma “boa parte” dos estudantes que vão estudar fora do País, no âmbito dos protocolos entre as câmaras municipais e as instituições de ensino superior portuguesa não têm dado continuidade aos estudos.

“Assim como promovemos o destino Cabo Verde e os produtos nacionais, é necessário promover as nossas instituições nacionais, e as boas práticas que são feitas no ensino superior para que consigamos trazer os jovens que querem estudar, estão fora do sistema de ensino”, defendeu.

Relativamente às bolsas de estudo atribuídas pela Ficase, Euclides Silva comprometeu-se ser parceiro na divulgação dessas “oportunidades” que existem para que se possa ter mais jovens da região Santiago Norte nas universidades, formar “uma elite intelectual e académica forte para fazer o bem e trabalhar em defesa da promoção do desenvolvimento da região”.

Durante a entrevista colectiva, o líder da JpD prometeu levar as sugestões da US ao Governo e ao ministro da Educação para que se possa ver a melhor forma para canalizar os muitos jovens que ainda estão com vontade de estudar, mas estão fora do sistema educativo, para que estes possam estudar naquela universidade, que tem inserido muitos jovens no mercado de trabalho nos últimos 10 anos.

FM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos