Santiago Norte: Governo admite criar Zona Económica Especial ancorada no agro-negócio e agro-business (c/áudio)

Pedra Badejo, 21 Jun (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro, Olavo Correia, admitiu hoje em Santa Cruz (ilha de Santiago) a criação de uma Zona Económica Especial (ZEE) em Santiago Norte, ancorada no agro-negócio e agro-business, numa lógica de cadeia de valor.

A posição foi assumida hoje pelo também ministro das Finanças durante a sua intervenção na cerimónia oficial de descerramento da placa do início da obra de reabilitação da residência dos formandos e formadores de Pedra Badejo, em Santa Cruz, a que presidiu, orçada em mais 36 mil contos.

“Nós queremos nessa região Norte da ilha de Santiago edificar uma ZEE ancorada no agro-business e agro-negócio e numa lógica de cadeia de valor. Nós temos potencial aqui nesta região e estamos a trabalhar com o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e com câmaras municipais do interior de Santiago para que no espaço mais curto possível de tempo começar a montar e estruturar este conceito de ZEE ancorada no agronegócio e agro-business”, vaticinou o governante.

Para o efeito, Olavo Correia notou que vão precisar de “gente bem preparada”, que passa pela criação de condições para se formar jovens nas áreas de construção civil, agro-negócio, agricultura, agro-pecuária, turismo, economia digital, energias renováveis, e em todos os demais sectores a montante e jusante a estas áreas.

Nesse sentido, disse esperar contar com o trabalho de todos, tendo considerado a formação profissional um “pilar essencial” para preparar os jovens cabo-verdianos e para a edificação deste conceito da ZEE ancorada no agro-business e agro-negócio.

“Nós, da Associação dos Municípios de Santiago, recebemos com muito agrado esta notícia da criação da ZEE, uma vez que a ilha desde logo tem potencial enorme e há esse desafio de dinamizar todo este potencial”, reagiu em declarações à imprensa, o presidente da associação, Carlos Silva.

O também presidente da autarquia santa-cruzense assegurou que os nove municípios da ilha de Santiago, sobretudo os seis do interior de Santiago, vão “fazer de tudo” para que essa “grande política macro” do Governo seja implementada, para que se possa garantir um crescimento económico inteligente e sustentável na região.

A ZEE para Santiago Norte, que é considerada uma das regiões mais pobres do País, e que possui uma população de mais de 120 mil pessoas, é uma reivindicação antiga da população, das autarquias e dos deputados que suportam o Governo e da oposição eleitos pelo por este círculo eleitoral.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos