Santiago Norte: Alunos consideram que há falta de segurança nas EBO

Calheta, 28 Jun (Inforpress) – Os alunos do ensino básico obrigatório (EBO) dos municípios de Santiago Norte afirmaram hoje que há falta de segurança nas escolas, e que diante dos esforços das autoridades ainda registam algumas preocupações e constrangimentos.

Para a aluna Maira Semedo, que falava à margem da VII edição do parlamento infantil do ensino básico obrigatório, cujo tema foi ‟segurança nas escolas, formas pacíficas de resolução de conflito” em São Miguel, considerou que a segurança vem sendo uma questão de preocupação na sua escola.

Esta representante elencou algumas das preocupações, nomeadamente, escolas situadas muito próximo das estradas, bebidas alcoólicas perto das escolas, pátios esburacados, falta de rumos de protecção, escola sem extintores, sem rampas, balizas mal afixadas, insuficiência de profissionais de apoio socioeducativo, sem regulamentos internos e alunos com comportamentos agressivos.

No entanto, a mesma fonte frisou algumas medidas de prevenção, pedindo para que a autoridades continuem a apostar na requalificação das escolas, que sejam equipadas com extintores, melhoramento da sinalização de trânsito nas redondezas das escolas, realização de campanhas e palestras regulares e alargamento do programa escola segura.

Dos 60 alunos deputados presente, a maioria afirmou que querem a melhoria na segurança nas suas escolas, pedindo assim, a criação de um manual de procedimento sobre a segurança no contexto escolar, criação de equipa multidisciplinar para trabalhar na prevenção de conflitos e situações ligadas à segurança nas escolas.

Diante disso o delegado do ICCA, Adelino Carvalho, afirmou que este parlamento permite reforçar a capacidade de fiscalização, diante do feedback real vivenciado pelas crianças nas escolas, para saber se as escolas estão seguras.

Este responsável salientou que já tomaram notas sobre as preocupações dos alunos que, segundo ele, vai ajudar o ICCA no apoia à resolução desses problemas.

O parlamento infantil do EBO é uma prática institucionalizada desde 2012, numa parceria entre o Ministério da Educação, Aldeias SOS e o Instituto Cabo-verdiana de Criança e do Adolescente (ICCA), com o objectivo de dar vez e voz às crianças para explanação e debates dos seus direitos âmbito da comemoração do dia da criança africana.

VC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos