Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santiago: Governo quer fazer da cultura um serviço auxiliar ao turismo –ministro (c/áudio)

Pedra Badejo, 16 Nov (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas disse hoje que o Governo investiu em projectos de reabilitação patrimonial e de grandes eventos culturais de Cabo Verde, na lógica de a Cultura ser um serviço auxiliar ao turismo.

Abraão Vicente fez essas considerações no acto de abertura do fórum “Turismo cultural na ilha de Santiago”, que decorreu em Pedra Badejo, Santa Cruz, em que ele e alguns participantes marcaram a presença através da plataforma digital.

“O turismo cultural posicionou-se nas últimas décadas como o motor para o desenvolvimento sustentável, sobretudo de territórios ‘a priori’ desprovidos de recursos associada à modalidade turística tradicional, sol e praia”, lembrou o governante, que destacou o “peso” do turismo na economia nacional.

Não obstante o “peso” de a indústria do turismo na economia de Cabo Verde ser “indesmentível e algo palpável”, Abraão Vicente disse que o planeamento turístico integral, entendendo o turismo como política cultural, ambiental, educacional, de saúde e ferramenta de articulação de desenvolvimento se impõe.

Daí, lembrou que o Governo, no mandato 2016-202, alavancou todo o financiamento dos projectos de reabilitação patrimonial e dos projectos de financiamento de grandes eventos culturais de Cabo Verde na lógica de a Cultura ser um serviço auxiliar ao turismo.

O governante, que reiterou o peso do turismo na economia nacional, defendeu que é essencial repensar as profissões ligadas ao sector, às indústrias culturais, à valorização dos recursos humanos, à preservação do território e todas as estratégias integradas que possam levar a um melhor posicionamento de Cabo Verde enquanto um país de destino turístico que apresenta os vários sectores e vários nichos devidamente valorizados.

Referindo-se à cultura como um sector chave para a dinâmica da retoma económica e turística, adiantou que o Ministério da Cultura vem desenvolvendo acções, actividades, estudos e planos tendentes a serem suporte necessário para a indústria turística.

Por isso, disse acreditar que o próprio Ministério do Turismo e o Governo no seu todo têm reconhecido o contributo do Ministério da Cultura e dos seus sectores nos estudos e levantamentos, e na concretização de uma nova visão de Cabo Verde a partir do património material e imaterial e construído.

É que segundo ele, o ministério que dirige vem conferindo valor aos recursos patrimoniais, materializando políticas assertivas, razão que o leva a afirmar que o património é hoje um activo inegável para a indústria do turismo.

A título de exemplo, o governante disse que Santiago é a ilha, neste momento, melhor posicionada a nível de património reconstruído para a sua inserção no roteiro turístico, e para ser o valor acrescentado para o nome, para marca País, para as empresas e para as indústrias que laboram nesse sector.

Abraão Vicente referia-se à reabilitação da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a reconstrução da Igreja de São Tiago Maior, a reabilitação da Igreja de Nossa Senhora da Luz, a reabilitação da Igreja de Santa Catarina (na fase final), a reabilitação do ex-Campo de Concentração do Tarrafal.

“As novas exigências do mercado obrigam-nos a assumir a cultura, a identidade nacional, a identidade da nossa história, identidade da nossa narrativa como factores de diferenciação, como possíveis bens de conversão, no âmbito da oferta turística. Sol e praia é um território, onde teremos sempre mais concorrentes, que pelo seu percurso e pela sua narrativa argumentos muito mais interessantes que Cabo Verde”, alertou.

Por tudo isso, disse que não tem dúvida que é a partir da cultura, nas várias vertentes, e em parceria com todos os agentes culturais e turísticos, que Cabo Verde vai transformar de facto numa referência internacional.

“Cultura, turismo e poder local”, “plano estratégico turismo cultural”, “poder local e turismo”, “turismo cultural antes/pós-covid-19”, “estratégias e política para o sector”, “Plano Operacional para o Turismo” e “roteiro turístico-cultural da ilha de Santiago” são os temas abordados no fórum.

O evento foi promovido pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do Instituto do Património Cultural, em parceria com a Câmara Municipal de Santa Cruz.

FM/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos