Santiago: Festividades de Santo Amaro Abade continuam a ser uma das mais concorridas do país (c/video)

Tarrafal, 15 Jan (Inforpress) – As festividades de Santo Amaro Abade tiveram hoje o seu pico, com uma eucaristia presidida pelo cardeal Dom Arlindo Furtado, que mais uma vez levou milhares de devotos da ilha de Santiago e da diáspora ao Tarrafal.

A missa campal teve como palco o largo Santo Amaro e foi antecedida por uma procissão que percorreu as principais artérias da cidade do Tarrafal, durante a qual o orago local foi acompanhado por todos os santos das capelanias que fazem parte da Paróquia de Santo Amaro Abade e, à semelhança dos outros anos, foi muito concorrida.

Essa festa, que à semelhança dos anos anteriores, reuniu milhares de fiéis de todos os concelhos da ilha de Santiago, e que contou com uma presença forte de emigrantes, deu mais uma vez razão à intenção da autarquia de que as festividades de “Nhu Santo Amaro Abade” devem ser reconhecidas e catalogadas como Património Imaterial Nacional.

A propósito, o presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José Nunes Soares, avisou que a sua elevação não dependerá somente da câmara municipal, tendo lembrado que há um processo inicial para tal, que vai ser retomado numa parceria com a paróquia.

“Não vamos prometer um ‘timing’, mas fica o compromisso de trabalharmos, conjuntamente com a paróquia, e envolver todos aqueles que, directa ou indirectamente, têm a ver com esta grande festa, para que, efectivamente, um dia as festividades de Santo Amaro Abade possam ter esse reconhecimento como Património Imaterial Nacional”, comprometeu-se o autarca tarrafalense.

As festividades de Santo Amaro Abade tiveram, segundo o edil, muita afluência , e decorreram na “normalidade e tranquilidade”, num clima de “muito civismo e com toda a segurança”.

Aliás, José Nunes Soares informou que esse clima é um “património” que deve ser preservado e valorizado.

“Tarrafal , mais uma vez, demonstrou que sabe receber, sabe acolher e sabe tratar. E tudo iremos fazer, numa conjugação entre a câmara municipal, a Paróquia de Santo Amaro Abade e a sociedade civil, para que, efectivamente, seja um local de atracção, onde as pessoas possam estar e conviver com tranquilidade e na máxima segurança e com toda harmonia”, notou.

Por seu turno, o bispo da Diocese de Santiago, Dom Arlindo Furtado, que centrou a sua homília na figura de Santo Amaro Abade, lembrou que este santo romano foi um homem de família nobre, que procurou cultivar as virtudes humanas como base de suporte de valores evangélicos.

Assim como este santo , que foi um homem rico na sua personalidade e na sua vida e com a força de procurou servir Jesus”, o cardeal pediu a todos, sobretudo neste ano em particular, a empenharem-se enquanto seres humanos, para serem “ricos de valores” e deixarem de lado a “vulgaridade e grosseria” e “maneiras impróprias” de se lidar com os outros.

Já os devotos do santo, sobretudo emigrantes, pediram-lhe saúde, paz e chuva, deixando o compromisso de voltar para pagar e renovar as promessas.

A Polícia Nacional, prometendo fazer nos próximos dias o balanço do plano operacional das festividades do Dia do Município do Tarrafal, principado a 04 de Janeiro e que culmina esta quinta-feira,16, avançou, no entanto, que tudo decorreu “dentro da normalidade”, não obstante algumas detenções e alguns acidentes de viação.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) de 2018, o concelho de Tarrafal de Santiago que celebra o Dia do Município e Santo padroeiro Santo Amaro abade, tem actualmente uma população residente de 18.171, sendo 45,6% do sexo masculino e 54,4 % do sexo feminino, representando 5,9% (por cento) a nível da ilha de Santiago e 3,3 % a nível de Cabo Verde.

No campo da educação, os dados apontam que 82,2 % da população com 15 ou mais anos é alfabetizada, com maior incidência na faixa etária entre 15-24 anos em que a taxa sobe para 98,8%.

Relativamente ao mercado de trabalho, o INE estima que 47, 4 % da população activa do Tarrafal encontra-se ocupada, sendo 49,9 % homens e 45,4% mulheres. A taxa do desemprego é estimada em 9,5 %, sendo 9,9 % nos homens e 9,2 % nas mulheres, sendo que o desemprego afecta 23,6 % dos jovens (15-24).

Nas condições de vida, 81,3% dos 4.999 agregados familiares têm acesso à electricidade, 70,9 % têm acesso à casa de banho e 84,7 à água canalizada (rede pública), 64,7 % usa contentores para evacuação do lixo, 57,1 % usam gás para cozinhar e 42,6% usam lenha para cozinhar.

No acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), o telefone fixo chega a 9,2 % das habitações, 68,7% têm televisão, 16,0% têm televisão por assinatura, 22,1 % têm computador e 10,7% tablet e 49,1% usam internet

 

FM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos