Santiago: Edilidade tarrafalense apela à inclusão social para erradicação da pobreza

Tarrafal, 11 Dez (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José Pedro Soares, pediu hoje aos munícipes para contribuírem com a sua quota-parte para debelar a pobreza e fazer com que a inclusão social seja uma realidade neste concelho.

O autarca falava no acto da abertura da conferência “Inclusão Social”, o primeiro tema do ciclo de conferências intitulado “Tarrafal e o Futuro”.

A iniciativa serviu para dar a conhecer a visão política e medidas de política em curso da edilidade e apresentar à sociedade civil tarrafalense os programas desenhados e prontos a avançar no decurso do mandato para o sector da inclusão social.

Trata-se dos projectos Horta Familiar, Centro Municipal de Cuidados, Escola da Família, Cooperativa de Corte e Costura Criativa, Decorativa e Utilitária e Loja Social, desenvolvidos pela autarquia no âmbito da sua política de desenvolvimento social.

O objectivo é favorecer o melhoramento de vida das famílias de forma integral, e combater a pobreza e a exclusão social, privilegiando o trabalho em rede com os parceiros locais.

Na ocasião, José Pedro Soares lembrou que o concelho tem “fortes potencialidades, perspectivas e desafios”, tendo apontado como desafios a serem vencidos a erradicação das “bolsas de pobreza” que ainda existem e ainda fazer com que a inclusão social passe da teoria à prática.

Na sua opinião, mesmo sendo “projectos pequenos”, somados “dão garantias” para que, paulatinamente, sejam criadas medidas alternativas rumo à inclusão social.

Por seu lado, a vereadora do Desenvolvimento Social, Eva Lopes, fez saber que todos esses projectos “estruturantes para o município” têm apoio e aval do Governo, que aliás, lembrou, enquadram-se dentro da política social do executivo.

Relativamente aos cinco projectos, informou que todos já estão realizados a “mais de 50 por cento” e que de momento, encontra-se em execução o da Horta Familiar, que beneficia, nesta primeira fase, 50 famílias, sendo 25 de Ponta Gato e 25 de Lém Ferreira, em Chão Bom, e prevê-se a apresentação dos produtos da horta no final de Dezembro.

Já em relação à “Escola da Família”, informou que abarca dois agrupamentos escolares, sendo um no centro da cidade e outro em Chão Bom, que serão inaugurados no dia 21 de Dezembro.

Por outro lado, Eva Lopes indicou que a Cooperativa de Corte e Costura Criativa, Decorativa e Utilitária, e a Loja Social vão ser implementadas no próximo ano.

Por sua vez, a directora nacional de Inclusão Social, Mónica Furtado, que considerou os cinco projectos socais “belos e estruturantes”, anunciou que o Governo, através do Fundo das Nações Unidas, já solicitou um financiamento para o próximo ano para poder partilhar todos os projectos sociais a nível nacional, devendo ser premiado, com financiamento, o “mais inovador e mais estruturante”.

A responsável, que apresentou a política social do Governo à sociedade civil do Tarrafal, disse ainda que esses cinco projectos da edilidade tarrafalense estão alinhados com a política do Governo, cuja meta é, igualmente, a erradicação da pobreza, igualdade de género e redução das desigualdades.

FM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos