Santiago: Câmara Municipal do Tarrafal assinala 48 anos da libertação dos prisioneiros do ex-Campo de Concentração

Tarrafal de Santiago, 29 Abr (Inforpress) – A Câmara Municipal do Tarrafal promove, domingo, 01 de Maio, um leque de actividades no ex-Campo de Concentração para assinalar os 48 anos da libertação dos prisioneiros dessa prisão criada em 1936, pelo regime de Salazar.

De acordo com uma nota enviada à Inforpress, as actividades promovidas pela Câmara Municipal do Tarrafal, através do pelouro de Turismo, Projectos, Cooperação e Comunidades, em parceria com a Fundação Amílcar Cabral (FAC) e a Associação dos Combatentes da Liberdade da Pátria (ACOLP), arrancam hoje com a recepção de uma delegação da Câmara Municipal de Grândola (Portugal).

A iniciativa conjunta, segundo a mesma fonte, “tenciona impulsionar um percurso que conduza à celebração condigna do dia 01 de Maio de 1974, data em que uma multidão vinda de todos os cantos da ilha de Santiago forçou os portões do Campo de Concentração e libertou os presos do regime colonial-fascista”.

“Trata-se de uma data marcante da luta pela liberdade, que tem sido relegada a um injusto segundo plano. Não pode continuar a ser assim. Preservar a memória é uma missão que ultrapassa o discurso de ocasião, e se constitui numa obrigação histórica da comunidade, desde logo do município do Tarrafal, em primeira linha”, lê-se no documento.

Neste âmbito, o município irá receber a visita de uma delegação da Câmara Municipal de Grândola, concelho português geminado com Tarrafal que retoma actividades de cooperação com este município santiaguense.

Do programa constam homenagens aos prisioneiros do ex-Campo de Concentração, hino nacional e hastear da bandeira pelas Forças Armadas, cerimónia de deposição de coroa de flores, desfile militar frente à Câmara Municipal do Tarrafal, assinatura de protocolo entre a edilidade tarrafalense e a ACOLP, entre outras.

Este património que já foi classificado pelo Governo como Património Cultural Nacional, através da resolução nº 33/2006 de 14 de Agosto, e que integra actualmente a lista indicativa de Cabo Verde na Unesco, sofreu obras de reabilitação, orçadas em 23 mil contos, com foco na sua elevação a património mundial da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

FM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos