Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santiago: Câmara de São Miguel abre Centro de Educação Ambiental para debater questões ligadas ao sector no município

Calheta, 05 Mai (Inforpress) – A Câmara Municipal de São Miguel (ilha de Santiago) inaugurou sábado o Centro de Educação Ambiental como um espaço de excelência para o debate sobre questões ambientais no município de forma crítica e participativa.

O centro, que está localizado na localidade de Achada Portinho, segundo a edilidade pretende ser um ponto de convergência local e regional de informações do meio ambiente e da educação ambiental e de sensibilização, assim como fazer a actualização do PAM (Plano Ambiental Municipal), reunir, sistematizar e disponibilizar informação relevante para o educador ambiental e o público interessado.

A prevenção e combate à poluição, realização de exposições itinerantes nas escolas do município, sobre temáticas como água, lixo e aquecimento global, receber, mediante agendas previamente definidas com as escolas locais, alunos da rede pública e privada do município, para trabalhos de consulta e pesquisa em temas ambientais e trabalhar para a conservação de espécies habitats são outros objectivos da criação do CEA.

O CEA, cujo projecto foi financiado em 7.500 contos pelo Fundo do Ambiente, contemplou ainda a requalificação urbana e ambiental ao redor do mesmo, e foi inaugurado num acto co-presidido pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e pelos autarcas de São Miguel e Batalha (Portugal), respectivamente, Herménio Fernandes e Paulo Jorge dos Santos.

Na ocasião, o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, enalteceu o município pelo projecto e pela coragem por ter desenvolvido todo este esforço de se dotar de um Centro Municipal Ambiental.

O governante exaltou ainda a “sensibilidade” do município para com a educação ambiental, defendendo que “é fundamental desenvolver actividade de educação ambiental para não se andar para traz nesta matéria”.

O titular da pasta do Ambiente que considerou o projecto micaelense de exemplo a seguir por outros municípios pediu o envolvimento de todos, disse acreditar que o CEA pode vir a contribuir tanto para um turismo alicerçado no ambiente e no desenvolvimento de outras actividades económicas alicerçadas na perseveração do ambiente.

Por sua vez, o presidente da câmara de São Miguel, Herménio Fernandes, lembrou que a concretização deste projecto deve-se à parceria existente entre o Governo e o seu município, que aliás, assegurou, tem traduzido “enormes ganhos”, mormente no domínio do ambiente e agricultura e requalificação urbana e ambiental.

Tendo em conta que, segundo ele, nos últimos três anos é visível a transformação daquele município do interior de Santiago, sobretudo na requalificação urbana e ambiental, entende que o centro vai ajudar os micaelenses na sua preservação e conservação, visando a sua sustentabilidade.

Conforme avançou, a edilidade quer transformar o centro “numa grande centralidade” para a área do ambiente, para que possam garantir a continuidade de todos os investimentos que estão a fazer em vários bairros do concelho.

Na ocasião, fez-se ainda o descerramento da placa que dá nome à rua, das obras de requalificação urbana e ambiental ao redor do centro, denominada “Rua da Vila da Batalha” em homenagem ao município da Batalha (Portugal), um gesto que o autarca português disse acreditar que confirma a “parceria estratégica” entre os dois municípios.

FM/ZS
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos