Santa Cruz: Polícia Nacional (PN) reforça suas competências em Abordagem às Escolas

 

Pedra Badejo, 13 Abr (Inforpress) – Os elementos da Polícia Nacional (PN) que integram a equipa da Escola Segura terminaram hoje uma acção de formação em Abordagem às Escolas, no âmbito do programa Escola Segura.

A formação que decorreu durante dois dias no espaço de lazer do Serviço Social da PN, em Achada Colaço, no município de Santa Cruz (ilha de Santiago), segundo o intendente, Manuel Cabral, visa criar sinergias para encontrar melhores estratégias de intervenção junto da comunidade educativa.

O programa Escola Segura, segundo o intendente, é uma janela pela qual a Polícia Nacional faz uma abordagem de proximidade com a comunidade.

E, tendo agentes mais habilitados para conhecer as lógicas das intervenções e das abordagens da comunidade educativa, acredita que desta forma estarão mais integrados na comunidade e consequentemente poderão fazer melhor serviço e garantir cada vez mais segurança na escola, indicou.

Manuel Cabral disse que a Polícia Nacional tem estado preocupada com o abandono escolar, pois, no âmbito do policiamento de proximidade tem deparado com situações de alunos que em idade escolar abandonam o ensino.

” Novas tendências nos indicam que é preciso tomar alguma atenção com o abandono escolar, isto é, conhecer esse fenómeno, saber onde isto acontece, quais as causas e que medidas numa parceria com o Ministério da Educação possamos fazer uma intervenção, evitando que isto continue”, disse.

Para o formador, o inspector-geral da Educação, Julião Barros, durante esses dois dais de formação foram ministrados módulos que vão ajudar a equipa da Escola Segura a maximizar as suas intervenções junto das escolas em que se registam maiores casos de insegurança.

Durante esta formação foi identificada e debatida a forma de abordagem de cada esquadra nas escolas, mas a partir de agora, segundo indicou, as esquadras vão poder harmonizar as práticas para que todas as esquadras façam uma intervenção de forma idêntica.

Ainda foi constatada que não existe uma perfeita sintonia entre os agentes da Escola Segura e os órgãos da direcção da escola.

Neste sentido, informou que depois da formação vão organizar um encontro entre as duas partes, para que possam aprofundar as intervenções nas escolas, evitando assim ruídos na comunicação e para que todos assumam as suas responsabilidades.

Os agentes abordados pela Inforpress acreditam que esta formação foi uma mais-valia, porque os ajudam a responder da melhor forma a sua missão.

Aproveitaram para apelar a colaboração dos alunos, pois, segundo disseram, a Polícia está ali para garantir a sua segurança, mas para isso precisam da colaboração de todos.

Esta acção de formação abrangeu o Comando Regional da Cidade da Praia e de Santa Catarina, mas posteriormente irão acontecer nos comandos do Sal, São Vicente, Santo Antão.

AM/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos