Santa Cruz: Pescadores e peixeiras reivindicam melhores condições para exercerem os seus trabalhos

Pedra Badejo, 25 Jan (inforpress) – Os pescadores e peixeiras de Santa Cruz, interior de Santiago, saíram hoje às ruas numa marcha, protestando contra a falta de máquinas de gelo, de conservação e as más condições no cais de pesca.

Segundo o presidente da Associação dos Pescadores de Santa Cruz, José Silva, o objectivo desta manifestação é chamar a atenção de entidades e responsáveis para a situação de pesca em Santa Cruz.

Conforme adiantou, a situação de pesca no município é “bastante grave” com a falta de máquinas de gelo, máquina de conservação e más condições no cais de pesca, pelo que, há muito tempo vêm alertando à câmara e ao Governo para a situação.

De acordo com este responsável, esta indignação levou os pescadores e peixeiras a protestarem porque já lá vão dez anos com o mesmo problema que “nunca é solucionado”, pelo que defendem que já é hora de resolver esta situação no município.

Avançou que foram várias tentativas, “sem sucesso”, primeiramente com a Câmara Municipal de Santa Cruz, e depois com o secretário de Estado adjunto para a Economia Marítimo e a directora-geral dos Recursos Marinhos, mas que não tiveram nenhuma resposta.

A mesma fonte disse ainda que, caso esta situação não for resolvida, vão analisar e ver qual é a nova forma de luta, porque, ameaçou, “não vão parar mais”.

Questionou ainda como é que se vai desenvolver os sectores da agricultura e sobretudo da pesca no concelho, se não existe uma dinâmica neste sentido, exemplificando com o problema de falta de gelo que vem se arrastando há muito tempo.

José Silva disse ainda que, desde os anos 90, foi construído um centro e que hoje está a “degradar-se e a cair aos pedaços”, não tem máquinas de gelo, máquinas de conserva e que “nunca houve nenhuma intervenção das entidades ou responsáveis” para resolver o problema deste espaço.

Salientou igualmente que existe um cais no município que não tem as “mínimas condições” para fazerem os seus trabalhos, asseverando que ainda descarregam os peixes à “moda antiga”, ou seja, tiram os peixes dos barcos e colocam no chão, frequentado por cães de rua e onde, na época de chuva, todas as enxurradas de Santa Cruz vão desembocar.

CL/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos