Santa Cruz: Forças Armadas de Cabo Verde testam capacidade de resposta em acção de alto risco

 

Pedra Badejo, 12 Abr (Inforpress) – As Forças Armadas de Cabo Verde, com o apoio da Marinha portuguesa e dos bombeiros municipais, testaram hoje as suas capacidades de resposta em incidentes de alto risco, evolvendo, por exemplo, a barragem de Poilão em Santa Cruz (ilha de Santiago).

Durante a manhã de hoje, simularam um incidente na barragem de Poilão, originado por um sismo, com os militares a serem chamados para prestar auxílio e a Marinha portuguesa que estava por perto, resolveu apoiar no salvamento de um indivíduo que caiu na barragem e sofreu graves ferimentos.

O chefe do Estado Maior, major general Anildo Morais, explicou que o exercício conjunto denominado ” Salvar Vidas”, decorreu com sucesso, porquanto, “o indivíduo foi resgatado com segurança, e neste momento já se encontra no navio NRP ” Alvares Cabral” a receber cuidados médicos…”.

Indicou que, com este simulacro ficou demonstrada a capacidade de resposta das Forças Armadas numa acção de alto risco.

“Neste momento, já estamos na parte fundamental do exercício e vemos que o entrosamento foi muito positivo, entre as forças portuguesas e cabo-verdianas, e para nós o exercício foi muito positivo”, considerou.

O general Anildo Morais afirmou ainda que a Forças Armadas estão preparadas para qualquer situação, mas que é necessário mais meios materiais e recursos para os equipar, no sentido de terem melhores condições e poderem cumprir as suas missões da melhor forma possível.

Por sua vez, o oficial da Marinha portuguesa, Tito Preciso, disse que essa experiência em conjunto também serviu para enriquecer os militares portugueses e ainda foi uma oportunidade de demonstrarem as suas versatilidades em prestar apoio humanitário em outro país.

“É uma boa experiência para nós, e é muito enriquecedor poder estar fora de casa, porque nós estamos habituados a treinar em Portugal e Inglaterra, mas é sempre bom vir a um país irmão como Cabo Verde e prestar apoio humanitário”, disse relembrando que em 2014 o navio Alvares Cabral esteve na ilha do Fogo a prestar ajuda humanitária na sequência da erupção vulcânica.

Paralelamente ao exercício de busca e resgate de vítimas de catástrofe, os médicos militares das duas Forças Armadas realizaram uma feira de saúde na localidade de Achada Igreja.

Segundo a major, Jaquiline Pereira, mais de 200 pessoas foram atendidas durante esses dois dias e as patologias mais diagnosticadas, foram doenças de pele nas crianças e hipertensão em adultos.

AM/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos