Santa Cruz e Maio querem restabelecer ligação marítima

Pedra Badejo, 07 Abr (Inforpress) – A Câmara Municipal de Santa Cruz e a sua congénere da Ilha do Maio estão a negociar uma parceria público-privada, para restabelecer a ligação marítima entre eles, informou o edil de Pedra Badejo, Carlos Silva.

Este anúncio foi feito durante a assinatura de um acordo de geminação, que teve lugar na tarde de quinta-feira,06, no restaurante Falucho, em Pedra Badejo, rubricado pelos autarcas de Santa Cruz e o da ilha do Maio, respectivamente, Carlos Silva e Miguel Silva Rosa, num acto testemunhada pelo ministro das Finanças, Olavo Correia.

Segundo o autarca de Santa Cruz, estes “dois povos estão ligados por laços históricos e sanguíneos”, uma vez que, a partir nos anos 60, lembrou, existia uma intensa troca comercial entre eles, uma troca de cultura e de mistura de gente, que era feita a partir do porto de Santa Cruz.

Com o objectivo de resgatar a antiga amizade e a solidariedade entre as duas populações, está em curso uma negociação para restabelecer as ligações marítimas entre eles.

Já estamos a negociar e acredito que está em bom ritmo, uma parceria público-privada para restabelecer ou retomar as ligações marítimas regulares, seguras e confrontáveis entre Maio e Pedra Badejo. Estamos a falar de uma distância de apenas 18 milhas, resgatando um pouco o passado e projectando para o futuro aquilo que pode ser a componente essencial do eixo de sotavento”, afirmou.

O eixo de Sotavento, segundo disse, é responsável por 60 por cento da riqueza nacional e alberga quase dois terço da população de Cabo Verde.
O autarca de Santa Cruz acredita que com a promoção desse eixo como novo ordenamento do mercado, vai se dinamizar a economia do interior da Ilha de Santiago, Maio, Fogo e Brava, e ainda reduzir o fluxo migratório para à Cidade da Praia.

Mas para isso, chamou atenção do governo de que Santa Cruz precisa de um porto alternativo ao porto da Praia, para dinamizar o turismo rural de Praia e mar e exercer actividade de entreposto de produto para outras ilhas.

Informou ainda que as duas entidades vão conjuntamente resgatar as embarcações que faziam ligação entre os dois municípios, como Nepturno Ernestina, Rex, Sal Rei, Maria Teresa, Belmira, através de uma réplica para ser um centro interpretativo do passado e do presente.

Para o edil do Maio, Miguel Silva Rosa, o laço entre esses dois povos “é especial”, no entanto querem aproveitar esta oportunidade para reforçar as relações e ligações culturais e as potencialidades turísticas que existem nos dois territórios.

“Acreditamos que é no melhoramento das relações entre Pedra Badejo e Maio que podemos, junto com o governo e outros parceiros, envidar todos os esforços, no sentido de reatar as ligações marítimas regulares, entre os dois portos e ao mesmo tempo estaremos a mobilizar vontades para um incremento nas relações com o interior de Santiago”, disse.

Com esta relação acredita ainda que vão criar uma dinâmica económica que contribuirá para melhorar as condições de vida das populações, criação de emprego e produção de riquezas.

Respondendo aos pedidos dos autarcas, o ministro das Fianças, Olavo Correia, disse que está no alcance do governo construir um porto em Santa Cruz e na Ilha de Maio, mas que é preciso que o poder local e central trabalhem conjuntamente para alcançar este desejo de devolver os laços existentes entre Pedra Badejo e Porto Inglês.

AM/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos