Santa Cruz: Associação Ambiental Caretta Caretta identifica e protege mais 60 ninhos de tartaruga

 

Pedra Badejo, 22 Ago (Inforpress) – A Associação Ambiental Caretta Caretta (AACC) tem neste momento, sob sua protecção, 64 ninhos de ovos de tartarugas que procuram a praia de Areia Grande, em Santa Cruz (ilha de Santiago), para desovarem entre Junho a Novembro.

Esta informação foi avançada hoje à Inforpress por Fredy Cardoso, membro da AACC, que desde o mês de Junho, juntamente com mais 26 jovens, têm estado a patrulhar as praias de mar de Pedra Badejo, com o fito de identificar e proteger as tartarugas marinhas e os seus ninhos.

“Temos 64 ninhos identificados ao longo da praia, que estão cercados, porque todas as praias do mar de Pedra Badejo são consideradas de alto risco, devido à concentração humana nas actividades da pesca. Por isso retiramos 58 ninhos das praias e colocamo-los num cercado para evitar que esses ovos sejam arrastados pelo mar ou simplesmente roubados”, disse.

Segundo este responsável, graças ao trabalho que esta associação tem estado a fazer nesta praia, as pessoas não têm atacado os ninhos e nem caçado as tartarugas.

Entretanto, atendendo à falta de recursos, a associação que deveria abranger toda a ilha de Santiago, só consegue dar resposta na praia de Pedra Badejo, ficando as outras praias sem vigilância, e deste modo as tartarugas tornam-se “presas fáceis dos predadores humanos”, notou.

Segundo Fredy Cardoso, recentemente foram alertados que pescadores da Cidade da Praia têm estado a caçar e matar tartarugas em outras praias do concelho, que não são vigiadas, mas garças à colaboração da Polícia Nacional conseguiram deter esses predadores.

“Recebemos muitas denúncias, mas não conseguimos dar respostas por falta de meios humanos. Sabemos que há inclusive um grande fluxo de comércio no alto mar, nas praias rochosas, mas infelizmente sozinhos não conseguimos pôr termo a esta prática e mudar de forma radical a mente dessas pessoas”, afirmou.

Cardoso informou, no entanto, que desde o mês de Julho um grupo de jovens da Associação Internacional de Estudantes de Ciências Económicas e Empresarias (AIESEC) tem apoiado a associação na melhoria da sua capacidade de lidar com conteúdos informáticos, para que possam promover os seus trabalhos e terem mais visibilidade.

“Estão a ajudar-nos a reestruturar a nossa plataforma e a organizar o nosso conteúdo para oferecer ao mercado turístico, nomeadamente na programação de caminhadas de observação de tartarugas no Verão, caminhadas para observação de pássaros no Inverno, nas lagoas de Pedra Badejo, tudo isso para que possamos ter sustentabilidade”, apontou.

Explicou que, além ajudarem a associação nas suas lides, esses jovens voluntários também apoiam as comunidades locais, sobretudo os jovens, na melhoria de aprendizagem de línguas estrangeiras, dando aulas de inglês.

Segundo Fredy Cardoso, a par da protecção das tartarugas a AACC tem em carteira um projecto que visa apoiar também a comunidade, que se intitula “Achada Igreja, limpa e verde e uma família, uma sanita”.

Este projecto, explicou, visa melhorar as condições de vida da comunidade local que considera ser “extremamente pobre”, mas valiosa em termos de arqueologia, ambiental e ecoturismo, necessitando por isso de uma intervenção a nível de requalificação e saneamento básico.

Indicou, entretanto, que para a materialização deste projecto vão submete-lo a um fundo de financiamento da Austrália, em Portugal.

AM/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos