Santa Catarina: Secretária de Estado do Ensino Superior quer mais meninas nas carreiras ligadas à ciência e tecnologia

Assomada, 27 Mai (Inforpress) – A secretária de Estado do Ensino Superior, Eurídice Monteiro, reiterou hoje o compromisso do Governo para com a formação superior, e assumiu que quer ver mais meninas nas carreiras ligadas à ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

A governante falava em declarações à imprensa em Assomada, Santa Catarina, no final de uma sessão promovida no âmbito da terceira edição da Semana Africana da Ciência do programa Pan Africano Next Einstein Fórum, que decorreu no Liceu Amílcar Cabral (LAC) e Escola Técnica Grão-Duque Henri (ETGDH),

A iniciativa destinada aos alunos do terceiro ciclo das áreas das Ciências e Tecnologias, dessas duas escolas do ensino secundário teve como objectivo incentivar as novas gerações, principalmente as meninas para essas áreas, e que contou com testemunhos de especialistas das referidas áreas.

“Precisamos ter cada vez mais jovens a se dedicarem à carreira científica, as engenharias, as matemáticas e as diversas áreas científicas para que no futuro possamos ter cada vez mais profissionais competentes, competitivos e com forte impacto no desenvolvimento de Cabo Verde. Cabo Verde precisa de jovens bem formados”, notou Eurídice Monteiro.

Em relação às meninas, instou-as a “não terem medo”, e encorajou-as a terem a curiosidade, engajamento e coragem para escolherem as áreas das ciências, das engenharias, das matemáticas e das informáticas.

“Não há barreira para ninguém. Todas as áreas são possíveis e queremos ver meninas nessas áreas que são áreas com forte impacto no desenvolvimento de Cabo Verde e há áreas que precisam de meninas e de rapazes competitivos para que possam dar o seu contributo no desenvolvimento de Cabo Verde”, sustentou.

No entanto, reiterou que o objectivo do Governo, neste momento, é sobretudo fazer o reforço e o encorajamento junto dos jovens no sentido de investirem na formação, e também fazer uma forte aposta na formação superior para que estes possam adquirir os conhecimentos científicos, tecnológicos e linguísticos necessários para o futuro.

Nesse sentido, reiterou que o Governo vai continuar a fazer um “forte apelo” para que os jovens rapazes e meninas continuem a se dedicarem “muito mais”.

É que, segundo ela, independentemente das dificuldades familiares, do contexto social e cultural é preciso uma forte aposta na educação e na educação superior, acrescentando “que o futuro defende do engajamento de cada um na sua própria formação.

Na mesma linha de ideias, a coordenadora da Semana Africana da Ciência, Anyse Essoh, manifestou a intenção de ver mais mulheres a seguir as carreiras nas áreas das ciências e tecnologias.

Relativamente à Semana Africana da Ciência, a também cientista explicou que o objectivo da mesma que está a decorrer em simultâneo em vários outros países africanos é promover o fomento das ciências, das tecnologias, das engenharias e das matemáticas no continente, visando ter uma nova geração que vai acreditar e apostar mais nessas áreas.

E tendo em conta que os alunos das duas escolas secundárias estão na altura de escolher as suas carreiras, admitiu que esta conversa com os mesmos visa influenciá-los positivamente a escolherem carreias nas áreas das ciências e tecnologias, e ainda mostrá-los a importância da ciência, que, lembrou, está por detrás da medicina e de várias descobertas.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos