Santa Catarina: Profissionais da saúde assinalam Dia Mundial da Saúde Mental com debate

 

Assomada, 10 Out (Inforpress) – Os profissionais da saúde do concelho de Santa Catarina assinalaram hoje, em Assomada, o Dia Mundial da Saúde Mental com um debate à volta do tema “Saúde mental no local de trabalho”, organizado pela Delegacia de Saúde local.

O evento contou ainda com participações de profissionais de outras áreas, entidades locais e familiares de pessoas que sofrem desta patologia.

Segundo a psicóloga clínica Ercília Carvalho, do Hospital Regional Santa Rita Vieira, a abordagem visou sobretudo esclarecer conceitos de saúde mental, o bem-estar psicológico, mas também identificar alguns factores que estão directamente relacionados com o bem-estar no trabalho, ou seja, condições de trabalho e ambiente laboral.

“Esses dois factores podem condicionar o nosso bem-estar no trabalho pela positiva ou não dependendo da maneira como estão estruturadas”, lançou.

Excesso de trabalho, trabalho dupla jornada, contexto de muito conflito, níveis muito elevados de pressão, assédio moral, falta de reconhecimento ou de elogio quando o funcionário têm “desempenho excelente” e a rapidez em identificar as falhas são aspectos que, para além de outros, podem condicionar o bem-estar laboral.

A responsável elencou ainda o isolamento, a tristeza, adiamento das tarefas, perda de interesse em realizar actividades, absentismo e presenteísmo, como alguns sinais que mostram que as pessoas não estão bem no local de trabalho.

Ercília Carvalho, que lamentou o facto de o tema “não ter merecido atenção dos empregadores” e ser retratado raras vezes no local de trabalho, sustentou que é importante que os empregadores e organizações começarem já a abrir “discussão ampla”, no sentido de se consciencializarem da importância do bem-estar de um funcionário.

É que, segundo disse, se um funcionário que está bem, que tem todo o seu potencial de memória e de concentração, atenção, motivação, tem toda a energia para ter uma produtividade e um desempenho em alta performance, do contrário, os empregadores e as organizações podem perder muito, que vai deste produtividade e grandes custos em termos de qualidade de prestações de serviços.

Já relativamente a questão da legislação, indicou que todas as condições devem ser criadas, desde a legislação, envolvimento das organizações, responsáveis, empregadoras de todas as áreas e politicas devem mobilizarem no sentido de se voltar para o bem-estar e saúde mental no trabalho, ajuntando que a saúde e bem-estar, são a qualidade no trabalho.

Os participantes, que reconhecem que o problema de saúde mental afecta as diversas classes e não só, pediram que este tema seja abordado não só aos profissionais de saúde e hoje no Dia Mundial da Saúde Mental, mas que o mesma seja levada a outras comunidades e a mais profissionais de outras áreas.

De acordo a OMS, quase um em cada 10 pessoas no mundo sofre de doença mental, “um número dramático”, segundo a organização, sendo a depressão a doença mental mais comum, apontada como uma causa de importante incapacidade.

A OMS informa que aproximadamente um em cada 100 pessoas sofre de esquizofrenia.

As doenças mentais afectam, segundo a OMS, mais de 400 milhões de pessoas em todo mundo, destacando que 75% e 85% das pessoas que sofrem desses males não têm acesso a tratamento adequado.

Segundo a Organização das Nações Unidas, 300 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de depressão, uma das maiores causas de aposentadoria por invalidez.

FM/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos