Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santa Catarina: MpD satisfeito com realizações da equipa camarária, enquanto PAICV diz que ficou “muito aquém”

Assomada, 30 Abr (Inforpress)- Os eleitos municipais do MpD (situação) manifestaram-se hoje satisfeitos com o relatório de actividades e conta de gerência da edilidade santa-catarinense de 2018,enquanto os do PAICV (oposição) dizem que ficou “muito aquém” do que foi planeado.

Em declarações à Inforpress, o líder da bancada do PAICV, Lamine Tavares, disse que o seu partido entende que o relatório de actividades e conta de gerência deveriam ser apreciados separadamente, ou seja, em sessões diferentes, assim como manda a lei que os considera “matérias distintas”.

No que tange ao relatório lembrou que muitas actividades não foram realizadas, ou seja, 40 por cento (%) das actividades não foram executadas, aliás, conforme recordou, muitas já constavam nos outros orçamentos.

Sobre a conta de gerência, explicou que há uma “mistura” de contas da edilidade e do Governo, que a seu ver os 731 mil contos de contas que a câmara diz ter arrecadas, segundo ele “não correspondem à verdade”.

“O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) não está contente com o relatório de actividades, porque entendemos que ficou muito aquém daquilo que foi planificado, e estamos a falar de uma orçamento que teve voto favorável do PAICV”, enfatizou o eleito municipal.

O líder do Movimento para Democracia (MpD), Euclides Furtado, por seu lado, disse que a sua bancada avalia positivamente os dois instrumentos, tendo em conta que há obras e que as realizações abrangeram todos os sectores.

Aliás, segundo ele, todos os santa-catarinenses estão satisfeitos com as realizações da câmara, cuja execução é de 58% contabilizado na conta de gerência.

Entretanto, conforme explicou há outros parâmetros que não foram contabilizados, razão que o leva a afirmar que as realizações da autarquia ultrapassam os 58%.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, José Alves Fernandes, disse que os 731 mil contos de receita arrecada em 2018 traduzem-se no desempenho da maioria e da sua equipa.

É que segundo o autarca, a sua equipa conseguiu cumprir o “essencial” daquilo que era a previsão da edilidade para o ano económico de 2018.

A título de exemplo, lembrou que elegeram a cidade de Assomada como “prioridade” e que a mesma recebeu grandes investimentos.

As realizações camarárias, segundo ele, situam-se na ordem de 58 por cento (%), tendo por outro lado acrescentado que as mesmas ultrapassam aquilo que apresentaram nos dois instrumentos.

Ou seja, conforme explicou, têm infra-estruturas no concelho em que a câmara fez toda a montagem e acompanhamento, mas que os recursos não passaram pela tesouraria, por isso não foram contabilizados.

Não obstante a seca, assegurou que há investimentos um “pouco por todo concelho”, com forte “pendor social” e ainda no domínio do desporto, cultura e investimentos em obras.

Nesta sessão ordinária da AM, os eleitos municipais pronunciaram-se sobre a alteração da estrutura societária da empresa pública intermunicipal Águas de Santiago (AdS), em que o Governo passa a ter 49% das acções e os municípios de Santiago 51%.

A AM decidiu retirar o Plano Estratégico da ordem de trabalhos, adiando o debate para a próxima sessão e colocando em discussão a divisão administrativa de Santa Catarina que foi aprovada com votos favoráveis do MpD e abstenção do PAICV.

FM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos