Search
Generic filters
Filter by Categories
Ambiente
Cooperação
Cultura
Economia
Internacional
Desporto
Politica
Sociedade

Santa Catarina: Loja Social e Casa da Sopa completam dois anos levando solidariedade aos mais necessitados (c/áudio)

Assomada, 31 Jul (Inforpress) – A Loja Social e a Casa da Sopa de Santa Catarina durante os dois anos de actividades têm levado solidariedade activa de apoio aos munícipes mais necessitados desse município do interior de Santiago, disse a coordenadora da instituição.

“Durante os dois anos de actividades, o balanço é muito positivo e estamos a ver resultados, sobretudo nas pessoas que frequentam os dois espaços”, congratulou-se Elsa Barros, que falava à Inforpress, no âmbito da comemoração dos dois anos da abertura dos dois projectos sociais da edilidade santa-catarinense, assinalados esta quinta-feira.

A mesma fonte explicou que os utentes da Casa da Sopa e Loja Social são pessoas vulneráveis, nomeadamente idosos, cujos familiares têm um rendimento baixo, jovens toxicodependentes e doentes mentais que deambulam pelas ruas da cidade de Assomada, e senhoras de várias localidades de Santa Catarina com rendimento baixo.

De acordo com a responsável, durante os dois anos, a Casa da Sopa já beneficiou 70 pessoas que vão ali diariamente, onde fazem higiene pessoal (banho e mudança de roupas), beneficiando-se ainda de pequeno-almoço, almoço e as mesmas levam o jantar para as suas casas.

No entanto, fez saber que com a pandemia provocada pelo novo coronavírus (covid-19) 30 pessoas consideradas de “risco” estão em casa e continuam a receber assistência alimentar e médica, e ainda vestuários, e as demais 40 utentes continuam a frequentar diariamente o referido espaço.

Na ocasião, recordou que o espaço costumava proporcionar momentos de lazer, realizando actividades culturais e encontros com todos os utentes e respectivos familiares, mas que por causa do cumprindo das regras sanitárias não estão a realizar nenhuma actividade de lazer.

Relativamente à Loja Social, notou que a mesma funciona “um pouco diferente”, ou seja, informou que pessoas dirigem-se ao espaço e que após a uma visita dos responsáveis às casas das mesmas, estas passam a beneficiar dos apoios que vão desde géneros alimentícios de primeira necessidade, passando por vestuários e calçados para senhoras, senhores e crianças, ‘kits’ escolares e de higiene.

Lembrou ainda que durante a vigência do Estado de Emergência, a Loja Social distribuiu mais de 1300 cestas básicas às famílias em dificuldades de várias localidades desse município do interior de Santiago.

Para Elsa Barros, os dois espaços de apoio social, que têm como objectivo dar respostas, de forma célere, às famílias mais vulneráveis, estão a funcionar graças às doações e apoios do Governo, empresas, igrejas, pessoas individuais e emigrantes.

Este ano, por causa da pandemia, não foram realizadas nenhuma actividade para comemorar os dois anos de abertura da Loja Social e Casa da Sopa.

Os dois espaços, da responsabilidade do pelouro do Desenvolvimento Social da autarquia, que funcionam de segunda-feira a sábado, contam com 11 funcionários.

FM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos