Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Santa Catarina: Famílias contempladas com Rendimento Social de Inclusão capacitadas em gestão de pequenos negócios

Assomada, 30 Ago (Inforpress) – Trinta e uma das 49 famílias de várias localidades do município de Santa Catarina (Santiago) contempladas com o Rendimento Social de Inclusão (RSI) concluíram hoje uma formação em gestão de pequenos negócios, promovida pela edilidade santa-catarinense.

Em declarações à Inforpress, no final da acção formativa, que teve como palco o Centro Cultural Norberto Tavares, em Assomada, o formador Silvino Robalo informou que a mesma foi dividida em quatro módulos, características empresariais e pessoais, contas básicas de Identificação de Oportunidades de Negócios (ION) e gestão de financiamento de negócios, e decorreu durante cinco dias com uma carga horária de 25 horas.

Conforme a mesma fonte, com esta formação os beneficiários, que receberam 33 mil escudos cada foram capacitados com o intuito de saberem identificar as oportunidades de negócios existentes no concelho e nas suas localidades e para que possam também ter a capacidade de gerirem os seus próprios negócios.

É que, segundo ele, a edilidade santa-catarinense e o Governo, através, do Ministério da Família e Inclusão Social, que atribuíram o RSI querem que os beneficiários gerem “da melhor forma” este montante que será reforçado numa terceira fase com mais 33 mil escudos.

Na ocasião, lembrou que na primeira fase, ou seja, em 2018, 82 famílias tendo como chefes de famílias mulheres foram beneficiadas com o RSI, aliás, ajuntou que destas 49 deste ano, a maioria já tinha sido beneficiada.

Numa conversa com a Inforpress, um grupo de mulheres beneficiadas com o RSI que considerou esta formação de “mais-valia”, apontou salão de beleza, criação de animais, bares e restaurantes, vendas de produtos hortícolas, de roupas e de calçados, como possíveis áreas de negócios, onde vai aplicar o montante recebido.

Algumas confessaram que por ser uma quantia que não da para abrir um negócio grande vão criar um “pequeno grupo” para que possam abrir algo de maior dimensão.

Recentemente, num encontro com as famílias beneficiadas do RSI, a vereadora do Desenvolvimento Social da Câmara Municipal de Santa Catarina, Isabel Monteiro, disse que este programa veio “em boa hora”, tendo em conta que contempla famílias que se encontram numa situação de extrema pobreza.

Na ocasião, a autarca chamou a atenção das famílias para o bom uso dessa quantia, acrescentando que elas devem pensar bem no que querem investir, para não ser uma ajuda sem aproveitamento e sem rendimentos, porque existem muitas famílias que estão na lista de espera para serem beneficiadas.

FM/CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos