Santa Catarina: Edil considera “falsas” as declarações da líder do PAICV e afirma que concelho não está abandonado

Assomada, 05 Fev (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina, José Alves Fernandes, considerou hoje “falsas” as declarações da líder do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), afirmando que este município do interior de Santiago não esta abandonado.

“A senhora líder do PAICV passa, de momento, por um grande desnorte, porque, recentemente, recebemos os deputados do PAICV pelo círculo de Santiago Norte, que fizeram uma avaliação positiva do desempenho desta câmara”, afirmou José Alves Fernandes em declarações à imprensa, na Ribeira da Barca, à margem das comemorações oficiais do Dia Nacional do Pescador Cabo-verdiano.

Janira Hopffer Almada visitou esta segunda-feira o município de Santa Catarina, tendo dito na Ribeira da Barca, que se nota um “completo abandono da Câmara Municipal de Santa Catarina” e que não se viu “sequer uma acção, sequer um projecto, sequer uma obra por parte da edilidade” e questionou “o dinheiro que eles [câmaras municipais] recebem do Governo para onde vai e para quem vai?”.

O autarca diz que vê as declarações com “alguma estranheza”, tendo em conta que na Ribeira da Barca, onde a líder do PAICV proferiu tais “declarações falsas”, a autarquia, em parceria com o Governo, tem em curso a requalificação da orla marítima, num investimento de 18 mil contos, em que ela não fez “nenhuma referência” sobre a mesma, e das localidades que já tem estradas e que já foram electrificadas.

“Dizer que a população está ao abandono, isso nos estranha bastante, tendo em conta que uma obra de 18 mil contos não pode estar num lugar abandonado”, exteriorizou, indicando que vêm mais projectos para àquela vila piscatória.

Relativamente à estrada da localidade de Pingo Chuva, o edil santa-catarinense lembrou foi no mandato do PAICV que foi lançada a primeira pedra, duas vezes, e que “se desviou o dinheiro” da mesma para repor a ponte da ilha da Boa Vista.

A este propósito, disse estranhar como que exigem em dois anos aquilo que desviaram, tendo afirmado que o actual Governo tem sensibilidade e que vão trabalhar para repor um acesso de qualidade nessa localidade, que, aliás, afirmou “merece” tal obra.

José Alves Fernandes pediu a Janira Hopffer Almada para respeitar os santa-catarinenses, avisando que a sua equipa “não está aí para conserva fiada, mas sim para trabalhar”.

“Desafiamos a líder do PAICV a visitar Santa Catarina, onde vamos fazê-la uma visita guiada a todas as obras que a câmara já tem feito nesses dois anos, para que possa comparar se alguma câmara liderada pelo PAICV fez tanto em dois anos de mandato”, afirmou.

“Santa Catarina hoje não é um concelho do problema (…), vai desenvolver-se, porque esta equipa está empenhada, motivada e com vontade de trabalhar. Em estreita parceria com o Governo vamos fazer de Santa Catarina um grande concelho e de referência em Santiago e do país”, vaticinou.

O executivo camarário considerou ainda de “falso” que o sector das pescas encontra-se abandonado, lembrando que o contrato de gestão para a Unidade de Transformação e Agregação do Valor do Pescado (UTAV) foi feito em 2015 pelo anterior Governo, razão que o leva a dizer que não têm como acusá-los de abandonar os pescadores.

Segundo José Alves Fernandes, hoje há políticas muito claras para o sector das pescas, que aliás, lembrou, encontram-se em curso.

FM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos