Santa Catarina: Doenças causadas pelo álcool são terceira causa de morte – delegada de Saúde

 

Assomada, 28 Set (Inforpress) – As doenças causadas pelo álcool são a terceira causa de morte em todo o concelho de Santa Catarina, ilha de Santiago, relevou a delegada de Saúde Elisangela Tavares

A revelação foi feita em Assomada, em declarações à Inforpress, à margem do encontro alargado com parceiros locais (câmara municipal, Delegacia de Saúde, Delegação do Ministério da Educação, igrejas e Polícia Nacional), organizado no âmbito da campanha de “Prevenção do Uso Abusivo de Álcool – Menos Álcool, Mais Vida”, uma iniciativa do Presidente da República.

“De acordo com o relatório de 2016, a primeira causa de morte no concelho foi cancro, mas quando formos ver os tipos de cancro, quase 50% dos casos eram cancros relacionados com alcoolismo. O álcool não está só como a terceira causa, mas está de forma sorrateira dentro dessa doença que está dentro da primeira causa de morte em Santa Catarina”, afirmou.

Tendo em conta este cenário, accionaram os responsáveis da iniciativa presidencial, para os ajudar na elaboração de um plano para colmatar tal problema relacionado com o álcool.

Do plano que conta com parceria do Ministério da Saúde e da Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (ONUDC), constam implementação alguns instrumentos de rastreio no Centro de Saúde, com testes AUDIT (Alcool Use Disorders Identification Test) e ASSIST (Alcohol, Smoking and Substance Involvement Screening Test), que já está em curso.

Ainda segundo disse a delegada de Saúde, também está na forja a criação de um centro de resposta integrada à dependência nas instalações da Delegacia de Saúde, onde, após diagnósticos, vai ser possível dar “respostas mais rápidas” a este tipo de pacientes.

Segundo Elisangela Tavares, a ideia é alargá-lo a todos os Postos de Saúde do concelho, com enfermeiros treinados para realizar este tipo de rastreio.

Com o envolvimento da Educação, da iniciativa presidencial e da câmara municipal na fiscalização de produção e comercialização de produtos, advogou que em 2018 vão ter algo de “muito positivo”.

A propósito o vereador da Segurança e Protecção Civil, Emanuel Carvalhal garantiu que no âmbito da iniciativa presidencial, em que a edilidade é órgão máximo deste núcleo concelhio, vão intensificar a actividade de fiscalização e identificar os “possíveis postos de venda de bebidas alcoólicas junto de escolas e jardins”, para que possam fazer uma “acção firme” de “tolerância zero” a esta situação.

Emanuel Carvalhal deixou “bem claro” que após a identificação dos quiosques vão fazer um trabalho de fiscalização e depois serão tomadas medidas.

Para tal combate vão contar com a Inspecção Geral das Actividades Económicas (IGAE) que já conta com um programa definido a nível dos 13 concelhos de Santiago, cuja com início esta previsto para 02 de Outubro.

FM

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos