Santa Catarina: Autarquia reúne parceiros num fórum para debater a segurança

 

Assomada, 05 Mai (Inforpress) – “Santa Catarina Segura: um compromisso, uma nova atitude”, foi o tema de um fórum realizado hoje na Câmara Municipal de Santa Catarina (Ilha de Santiago), com vista a debater vários assuntos ligado à problemática da segurança.

Em declarações à Inforpress, o vereador do pelouro da Segurança e Protecção Civil, Emanuel Carvalhal, disse que este fórum serve para estabelecer um espaço institucional de debate, criar uma referência teórica e prática dos órgãos e serviços municipais, que possam nortear acções integradas e interdisciplinares na prevenção e combate à violência e à insegurança urbana.

Para o vereador, a segurança pública não pode ser tratada apenas com medidas de “vigilância e repressão”, mas s como um “sistema integrado e optimizado”, envolvendo instrumentos de prevenção, coacção, justiça, defesa dos direitos, saúde e social.

O processo de segurança pública, de acordo com o vereador, inicia-se pela prevenção e termina na reparação do dano, no tratamento das causas e na reinclusão na sociedade do autor do ilícito.

A segurança é um dever de todos e obrigações do Estado, por isso, durante este fórum foram chamados para o debate especialistas em matéria de segurança.

O comandante regional da protecção Civil e bombeiros de Santiago Norte, Amaro Varela, abordou o tema “Protecção Civil: Acções preventivas nas zonas de risco, organização e funcionamento do sector de Protecção Civil – Bombeiros”.

Instalado em Santiago Norte há dois anos, o comando tem apostado na prevenção, ou seja, informado a população sobre riscos de certos comportamentos que propiciam a insegurança, daí, explicou, a aposta em acções de sensibilização nas escolas e nas comunidades.

“Temos dado formação, alertando as crianças e adolescentes sobre comportamentos que devem adoptar a partir de agora. Damos-lhes conhecimento sobre primeiros socorros e que atitudes devem tomar em relação a pessoas acidentadas e princípios básicos que ajudam a salvar vida”, disse.

Com o aproximar da época de chuva e da faina agrícola, uma altura em que os camponeses fazem a prática de queimadas, o comandante alerta-os para os riscos que estas queimadas podem trazer, não só para o meio ambiente como também para a saúde pública.

Para reduzir o impacto das chuvas e reduzir os desastres, disse que anualmente o Serviço Nacional da Protecção Civil reúne-se com parceiros e autarquias para planear e identificar os problemas e analisar os trabalhos que as câmaras municipais têm estado a fazer para a limpeza das vias e das passagens hidráulicas.

Amaro Varela pede às pessoas para terem um outro comportamento em relação a retirada do mel de abelha, e para não deitarem fora resto de cigarros acesos no chão, sabendo que estas práticas também causam grandes incêndios florestais e põem vidas em riscos.

AM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos