Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Sal: “Piscina da controvérsia” construída e a funcionar há duas semanas para deleite de turistas e nacionais (c/áudio)

Santa Maria, 20 Mar (Inforpress) – A piscina do hotel Odjo D’Agua, no Sal, já foi construída e a funcionar há duas semanas, depois da controvérsia que levou ao embargo das obras e à “proibição legal” de sua exploração económica na zona marítima balnear.

Após assistir ao embargo das obras, determinado pela Câmara Municipal do Sal, e o Ministério da Economia Marítima ter, por outro lado, retirado a licença de construção de uma piscina fixa no Pontão do Porto Antigo, atribuída ao Empreendimento Odjo d´Água, em 2016, eis que nasce a infra-estrutura para deleite dos turistas, mas também dos nacionais que queiram um banho de sol à beira da piscina.

Após recorrer ao Supremo Tribunal e ter ganhado a causa, Patone Lobo, proprietário do Empreendimento Odjo d´Água, contou, em declarações à Inforpress, que a construção da piscina não lhe deu mais prazer, tendo em conta os “tantos problemas e stress”, que lhe causou,  agradecendo, entretanto, ao Governo por lhe devolver a licença, permitindo assim a sua construção.

“Águas passadas não movem moinhos. Não tenho mágoas nem ressentimento. O que importa é que a piscina já foi construída. Todo o mundo está contente, os turistas também radiantes (…). Agora é tocar a bola para a frente. Tud papa quente ta esfriâ (toda papa quente arrefece) ”, desabafou.

Agradeceu, também, a população de Santa Maria, que desde a primeira hora, conforme disse, deu-lhe o seu apoio, manifestando “sentimento de solidariedade” para a construção da piscina.

Reiterando que já não tinha mais vontade de edificar a obra, pelas razões referidas, Patone Lobo contou, todavia, que foi obrigado a isso, porque não pode ter um hotel com capacidade para 230 pessoas, sem uma piscina naquela área, e perante “um mar cheio de pedras e ouriços”.

“De facto a construção dessa piscina não me deu o prazer que devia ter-me dado, por causa de toda essa chatice. Foi custoso, stressante… mas já está feito. É bom para Santa Maria e para Cabo Verde”, completou.

Informou ainda que a piscina é aberta ao público, porém os adultos pagam 8 euros (880$00), enquanto as crianças 5 euros (550$00), durante o dia.

“Isto porque tudo tem custos. E uma piscina dessa natureza custa muito dinheiro. Daí que as pessoas que dela queiram desfrutar deverão pagar uma módica quantia para a sua manutenção”, explicou o proprietário.

Denominada de Piscina Infinita, Patone Lobo esclareceu que o nome deve-se ao facto de se ter a sensação de estar dentro do mar quando imergido na piscina.

“Foi uma obra muito bem concebida, dá a impressão que se está a nadar em direcção ao horizonte, ao infinito. Esta é a sua beleza e está a agradar a todo o mundo”, manifestou.

SC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos