Sal: Ministro de Energia inteira-se dos sistemas de microprodução de energias renováveis instalados na ilha (c/áudio)

Espargos, 14 Fev (Inforpress) – O ministro da Indústria, Comércio e Energia inteira-se dos sistemas de microprodução de energias renováveis instalados no Sal, com apoio técnico da empresa Águas de Ponta Preta (APP), para verificar o seu impacto no desenvolvimento das actividades económicas.

Alexandre Monteiro faz essa visita ao Sal a convite da empresa Águas de Ponta Preta (APP), visitou hoje três instalações solar fotovoltaica “on gride” e “off gride”, montadas em empresas privadas, nomeadamente na Academia do Académico do Sal, Agropecuária Alto Solarino, nos Espargos, e na Escola de kite Surf Mitú & Djô, em Santa Maria.

Ainda em Santa Maria, o governante visitou, também, as instalações de mobilidade eléctrica da APP.

Os sistemas fotovoltaicos “on gride” e off gride” a que o ministro toma hoje contacto, estão em funcionamento, respectivamente, desde Setembro e Outubro de ano passado, e Janeiro deste ano, com uma capacidade de 9kWp.

Para o ministro Alexandre Monteiro, a instalação desses sistemas de microprodução de energias renováveis, são exemplos de “boas práticas” de utilização de energias limpas e eficientes, com vantagens económicas e ambientais.

“São exemplos que devem ser seguidos, partilhados por todo o país. É assim, que se constrói e se desenvolve toda a transição energética que todo o país está comprometido e engajado. Daí o interesse da nossa visita a esse e a outros empreendimentos, desde infraestruturas de mobilidade eléctrica e outras “off grides” que vamos ter também oportunidade de visitar”, frisou.

Manifestando contentamento pela aposta dos investidores privados, no desenvolvimento de energias renováveis para satisfação das suas necessidades energéticas, o governante lembrou que o Sal, não só a nível de pequena escala, é uma ilha, hoje, com uma penetração de energia renovável “importante”.

“Mais de um quarto de energia consumida na ilha provém de fontes renováveis”, assegurou, anunciando, ao mesmo tempo, o processo de instalação, já em curso, de uma unidade de 5 MW solar, duplicando, assim, conforme disse, a capacidade de produção solar na ilha do Sal.

“São esses e outros investimentos que estão a ser desenvolvidos por todo o país que irão contribuir alcançarmos a nossa meta de chegar a 2030 com mais de 50 por cento de produção de energias renováveis”, prognosticou.

Instado a pronunciar-se se o sistema de energias renováveis está a ter impacto na vida das pessoas, Alexandre Monteiro respondeu afirmativamente, assegurando que o primeiro impacto é a nível económico, permitindo uma redução na factura dos consumidores, a par do impacto a nível ambiental.

“Há vantagens económicas e ambientais. Estamos a falar de energia limpa, não há poluição sonora nem de emissão de gases… portanto todo esse enquadramento traz, também, benefícios, mais valor ao produto global que os empreendimentos e as empresas cabo-verdianas querem desenvolver”, reforçou.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Generic filters
Filter by Categories
Ambiente
Cooperação
Cultura
Sociedade
Desporto
Politica
Economia
Internacional
  • Galeria de Fotos