Sal: Guias turísticos reforçam conhecimento para melhor prestação de serviço e narrativa sobre a ilha (c/áudio)

Santa Maria, 10 Set (Inforpress) – Um grupo de 15 guias turísticos, na ilha do Sal, reforça conhecimento para melhorar prestação de serviço e narrativa sobre a ilha, durante uma formação que teve início segunda-feira e vai até o mês de Novembro.

A formação, além de transmitir conhecimentos e competências aos guias de turismo, tem também como propósito reforçar as boas práticas na prevenção da covid-19, com o intuito de criar condições essenciais para a retoma das actividades turísticas em segurança.

Com uma duração de 233 horas, 12 semanas, esta formação de Guia de Turismo, nível 2, tem um formato teórico com aulas presenciais e ‘online’ e aulas práticas com saídas no terreno.

Nela participam guias turísticos de diferentes origens, nomeadamente Sal, São Nicolau, São Vicente, Santiago, mas residentes no Sal.

Promovida pelo Ministério do Turismo e Transporte com o financiamento do Banco Mundial, contando com os serviços especializados da Escola de Hotelaria e Turismo de Cabo Verde (EHTCV) para a sua execução, e parceria do IEFP- Sal, esta formação decorre, também, em simultâneo, na ilha de Santiago.

A coordenadora do núcleo da EHTCV, Dália Gomes explicou hoje em declarações à Inforpress, que o projecto pedagógico foi desenhado para um público-alvo profissional, com experiência no ramo.

“Não é uma formação para iniciados, por isso a carga horária de 233 horas, com alguns módulos, disciplinas consideradas necessárias para quem já está no terreno, possibilitando uma noção holística do sector”, esclareceu a coordenadora.

Durante esta acção de formação os formandos vão adquirir ferramentas e melhor conhecimento na área de história, e geografia dos recursos naturais da ilha, cultura cabo-verdiana, entre outras valências.

“Dados que lhes permitem estar mais balizados por forma a transmitirem informações correctas e seguras aos turistas”, sublinhou Dália Gomes, reforçando que este curso tem também módulos mais técnicos como desenho de itinerário e preparação de serviços de guias, e técnica de acompanhamento e assistência a turistas.

Deste portefólio de módulos fazem também parte, idiomas como inglês, francês, e comunicação expressão oral em português.

“Depois temos módulos transversais, como por exemplo, ética, visitas de terreno a áreas protegidas do Sal, para que os guias possam conhecer, mais aprofundadamente, os recursos turísticos que a ilha tem, o que lhes ajudará a aprimorar a narrativa nas excursões”, concluiu.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos