Sal: Dia Mundial do Doador de Sangue assinalado com marcha de sensibilização e doação

 

Espargos, 14 Jun (Inforpress) – O Dia Mundial do Doador de Sangue é assinalado hoje, 14 de Junho, no Sal, com uma marcha de sensibilização e doação na Praça 19 de Setembro, visando aumentar a consciência dessa necessidade de dar sangue.

A marcha para celebrar a efeméride, que este ano decorre sob o lema “O que posso fazer? Dê sangue. Dê agora. Dê regularmente”, é organizada pelo hospital e a Delegacia de Saúde.

A concentração acontece na Praça 19 de Setembro – depois de colheita de sangue nos dadores, também no mesmo sítio -, seguindo-se pela circular dos Espargos, sensibilizando assim as pessoas sobre a necessidade de dar sangue.

O delegado da Saúde, José Rui Moreira, explicou à Inforpress, que embora a ilha não tem tido problemas em relação à doação de sangue, dada a regularidade dos doadores, há, entretanto, necessidade de reforçar o stock da unidade hospitalar, pelo que exorta às pessoas a serem dadores, por forma a manter um abastecimento seguro e suficiente de sangue, permitindo salvar vidas a nível nacional.

“Sangue é uma coisa perecível, por isso, gostaríamos de ter um abastecimento suficiente no Sal mas para servir todo o país, em situações de emergência. Todos nós somos passíveis de um dia vir a precisar de sangue. Daí que devemos contribuir com a nossa dádiva”, incitou.

Chamando atenção da importância da doação, o responsável de Saúde local, esclarece que não há sangue fraco – como muita gente pensa -, que qualquer um pode ser dador, desde que, disse, goze de boa saúde, tenha hábitos de vida saudáveis e idade compreendida entre os 18 e 60 anos.

“Não há que ter medo ou receio. Antes da pessoa dar sangue há uma série de perguntas que se faz, uma triagem, para ver se o indivíduo está, de facto, em condições de doar, se não tem doenças contagiosas, comportamentos de risco que poderá por em causa a saúde dos outros (…) Só se faz a colheita se a pessoa estiver bem, saudável”, explicou.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 92 milhões de pessoas dão sangue anualmente, sendo que 45% destes dadores têm menos de 25 anos e 40% são mulheres.

A OMS quer expandir este universo de dadores, encorajando outras pessoas a tornarem-se dadores de sangue. A organização pretende que em 2020 as dádivas de sangue em todos os países sejam completamente benévolas e não remuneradas.

SC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos