Sal continua a ser a ilha que mais emprego gera nos estabelecimentos de alojamento turístico – INE

Cidade da Praia 13 Jun (Inforpress) – A ilha do Sal continua sendo a ilha com a maioria do pessoal empregada nos estabelecimentos de alojamento turístico com cerca de 59 em cada 100 empregados, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os dados constam do Inventário Anual de Estabelecimentos Hoteleiros 2021, inquérito realizado em finais de Dezembro do ano passado, que aponta que em seguida aparecem as ilhas da Boa Vista com 16%, Santiago 10% e São Vicente com 8%.

Segundo o INE, em finais de Dezembro do ano 2021, estiveram em actividade 292 estabelecimentos hoteleiros, mais 135,5% que no mesmo período do ano 2020, tendo verificado assim acréscimos, em pessoal empregado, de 432,7% face ao mesmo período do ano anterior.

Os dados do INE apontam também que, em finais de 2021, os estabelecimentos hoteleiros inventariados empregavam cerca de 8.400 pessoas, correspondendo a um acréscimo acentuado de 432,7% em relação ao mesmo período de 2020.

Os hotéis continuam a empregar o maior número de pessoas, representando cerca de 86% do total do pessoal. Seguem-se as pensões (5%), e as residenciais (4%).

O pessoal remunerado representa 99% do total do pessoal empregado. Além disso, a grande maioria do pessoal empregado (94%) é nacional. De igual modo, 60% desse mesmo efectivo é mulher, indica a mesma fonte.

O INE refere ainda que, do pessoal ao serviço remunerado, 62% tem contrato a termo, 35% têm contrato permanente e apenas 3% não tem contrato. Dos com contrato a termo, 37% tem contrato de três meses, 36% tem contrato de seis meses e 28% tem contrato de um ano ou mais.

Os estabelecimentos hoteleiros fizeram uma oferta de 14.648 quartos traduzindo-se num acréscimo de 460,4% em relação a 2020, pelo que se registou, igualmente, acréscimos em camas e capacidade de alojamento de 490,0% e 512,8% respectivamente.

Nesse período, a ilha de Santo Antão possuía 69 estabelecimentos de alojamento turístico, o que corresponde a 23,6% do total de estabelecimentos em funcionamento. A seguir as ilhas de Santiago (65), São Vicente (56), Sal (32), Fogo (25) representando a 22,3%, 19,2%, 11,0% e 8,6% do total, respectivamente.

Seguem-se as ilhas de São Nicolau, Boa Vista e Maio com o mesmo número de estabelecimentos (12), correspondendo a 4,1% do total e a ilha de Brava com nove estabelecimentos em funcionamento, representando 3,1% do total.

De acordo com o instituto, ocorreram em todas as ilhas acréscimos de número de estabelecimentos em funcionamento, no entanto, constatou-se que o maior acréscimo ocorreu na ilha de São Vicente, com mais 46 estabelecimentos hoteleiros.

Face ao ano anterior registou-se acréscimos de estabelecimentos nas ilhas de Santiago (45), Sal (22), Fogo (17) e Boa Vista (nove).

Em relação ao tipo de alojamento, o INE verificou-se aumento em todos os tipos, sendo que o maior decréscimo se averiguou nas residenciais, com mais (64) estabelecimentos, face ao ano 2020, seguidos os hotéis (+37), pensões (+23), hotéis-apartamentos (+13) e pousadas (+12). Conforme a mesma fonte, o aumento menos acentuado verificou-se nos aldeamentos turísticos (com mais cinco estabelecimentos).

Considerando a tipologia dos estabelecimentos hoteleiros, as residenciais passaram a ser os estabelecimentos com maior peso, representando cerca de 35% do total, ficando os hotéis e as pensões em segundo e terceiro lugares com 23% e 22%, respectivamente, indicou o INE.

TC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos