Sal: Academia de Futebol do Académico reclama melhorias urbanísticas em torno do clube que vai ostentar piscina olímpica

Espargos, 29 Abr. (Inforpress) – O presidente da Academia de Futebol do Académico do Sal reclama melhorias urbanísticas em torno do empreendimento que vai receber a primeira piscina olímpica do país, cuja inauguração prevê-se para finais de Maio ou Junho próximo.

Carlos Moniz, ou Cabet como é também conhecido, fez este apelo hoje nos trabalhos da XIII sessão da Assembleia Municipal do Sal, no período antes da ordem do dia destinado aos munícipes.

Segundo o dirigente desportivo, o apelo dirigido à autarquia, parceira deste projecto, justifica-se pelo facto de se pretender inaugurar as obras da piscina por ocasião da final do Campeonato Nacional de Futebol, a realizar-se na ilha do Sal.

Cabet lembra também que por esta mesma altura pretende-se inaugurar o Centro de Estágio, projecto da Federação Cabo-verdiana de Futebol, que fica mesmo ao lado da piscina, daí “não ficar bem”, ostentar dois projectos desta envergadura, mantendo a zona “do jeito que está”.

“Se não for possível fazer, de imediato, o trabalho de requalificação urbana, calcetamento… já que não vai dar tempo, ao menos optimizar a área com uma estrada de terra batida, até à criação das devidas condições”, sugeriu.

“Não é fácil fazer um projecto que nós fizemos, foi muita ousadia do Académico. Aproveito para convidar a Câmara Municipal do Sal a fazer uma visita à Academia e ver o trabalho, o andamento das obras da piscina que pretendemos inaugurar brevemente”, instigou.

Por outro lado, considerando a falta de apoio, o não funcionamento da lei de mecenato, Carlos Moniz lança um repto à Câmara do Sal no sentido de, a nível local, criar um pacote de incentivos, nomeadamente a nível de redução de taxas para as empresas que apoiam actividades de carácter social, na área do desporto, ambiente, cultura, entre outros.

“A câmara tem dado um grande contributo, mas não poderá fazer tudo o que tem a ver com o desporto do Sal. Daí que é fundamental a criação de incentivos para o progresso do desporto e outras áreas na ilha”, manifestou.

Avaliado à volta de 40 mil contos o projecto da piscina olímpica já na sua fase de conclusão deverá beneficiar a comunidade, auxiliando crianças desde os 5 anos, jovens e adultos até 60 anos.

SC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos