Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Rosana Almeida alerta para a situação das mulheres africanas em tempo da Covid-19

Cidade da Praia, 31 Jul (Inforpress) – A presidente do Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género (ICIEG) alertou hoje que as mulheres em África estão a passar por dificuldades sérias, por serem o rosto do sector informal, sobretudo nesta época da Covid-19.

Rosana Almeida, que fez esta alerta na sua mensagem alusiva ao Dia da Mulher Africana, celebrado hoje, 31 de Julho, realçou, por outro lado, que a África, por ser um continente que respira o “futuro”, deve cuidar da mulher que está a ser afectada com perda de rendas, com falta de protecção social e desemprego.

“Precisamos driblar esses problemas, pelo que é hora de todos nós (…) corrigirmos os desequilíbrios existentes e estarmos atentos às autoridades de cada um dos nossos países, a ponto de fazer com que as respostas que são dadas para o combate a Covid-19 levem em conta as questões relacionadas com as melhores”, disse.

Na sua mensagem alusiva a data, Rosana Almeida considerou que este é um “grande desafio” que se coloca a cada uma das mulheres africanas, e realça ainda que o futuro do continente pode vir a ser alvo de um redesenhar de políticas tendo em conta a Coivd-19.

No capítulo da participação política na África, apesar dos dados disponíveis não evidenciarem ganhos, a presidente o ICIEG apontou o Ruanda como um exemplo mundial a nível da participação política, onde o parlamento é constituído, maioritariamente, por mulheres.

A África por ser um continente onde as mulheres estão em várias frentes de liderança, deve segundo Rosana Almeida ser vangloriar-se pelos seus ganhos, pelo que aproveitou, na sua mensagem, para convidar as mulheres para, juntas, pensarem que “esta África é nossa”.

Neste âmbito, apela às mulheres a serem mais proactivas, a trabalharem mais e a terem mais coragem para estarem na “hora certa e no sítio certo” para influenciar as políticas públicas traçadas para o continente.

PC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos