Ritmo de crescimento económico continua acelerado no primeiro trimestre de 2017 – INE

 

Cidade da Praia, 20 Abr (Inforpress) – O ritmo de crescimento económico continuou acelerado no primeiro trimestre de 2017, tendo evoluindo positivamente face ao trimestre homólogo e a conjuntura económica é favorável, segundo os resultados dos inquéritos de conjuntura aos agentes económicos.

De acordo com as informações divulgadas hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), contribuíram para essa tendência ascendente, sobretudo, os sectores do turismo, do turismo residencial, comércio em estabelecimentos e do comércio em feira.

No que se refere ao sector do turismo foi registado o valor mais alto dos últimos 33 trimestres consecutivos. Entretanto, os empresários apontaram a dificuldade em encontrar pessoal com formação apropriada e o “excesso de burocracia” e regulamentações estatais como sendo os principais obstáculos do sector no 1º trimestre de 2017.

Em relação ao turismo residencial o indicador de confiança manteve igualmente a tendência ascendente dos últimos trimestres, registando o valor máximo da série.

O sector comércio em estabelecimentos inverteu a tendência descendente do último trimestre, evoluindo positivamente face ao trimestre homólogo e a conjuntura económica no sector foi favorável, segundo a fonte.

A mesma situação foi registada com o sector do comércio em feira que depois de inverter a tendência descendente do último trimestre, obteve o valor mais alto dos últimos 16 trimestres consecutivos.

A construção é o outro sector que conseguiu contrariar a tendência descendente dos últimos trimestres dando sinais de retoma, evoluindo positivamente face ao mesmo período do ano 2016. Entretanto essa retoma não foi suficiente para mudar a conjuntura, que continuou desfavorável.

Com conjuntura igualmente desfavorável estiveram os sectores da indústria transformadora em que o indicador de confiança situou abaixo da média da série e evoluiu negativamente face ao mesmo período do ano 2016 e os transporte e serviços auxiliares aos transportes que inverteu da tendência crescente para resultados negativos.

O excesso de burocracia e regulamentações estatais, o nível elevado da taxa de juros e as dificuldades na obtenção de crédito bancário, a falta de água, energia e matérias primas foram os principais obstáculos apontados pelos empresários dos diferentes sectores no período em referência.

MJB/ZS

Inforpresss/fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos