Ribeira Grande: Autarquia quer potencializar actividade turística e agroalimentar com fundos de descentralização (c/áudio)

Ribeira Grande, 24 Fev (Inforpress) – A Câmara Municipal da Ribeira Grande, Santo Antão, pretende canalizar os 18 mil contos provenientes do fundo de descentralização para potencializar actividade turística e transformação agroalimentar no município.

A informação foi avançada pelo edil ribeira-grandense, Orlando Delgado, indicando que os projectos, já identificados, serão implementados até Setembro ou o mais tardar até Novembro, que é o prazo máximo.

Orlando Delgado fez estas declarações à imprensa após o lançamento oficial do projecto fundo descentralização – Ribeira Grande, que aconteceu no salão nobre da câmara municipal, na Ponta do Sol.

O presidente da câmara afiançou que um dos contemplados no projecto será o mercado municipal que será reabilitado e todo o espaço envolvente da infra-estrutura.

“Queremos transformar aquele espaço como centro do mercado do dia-a-dia a nível da Ribeira Grande, mas devidamente organizado. Vamos equipar o talho e onde vendem peixe”, garantiu.

O autarca pontuou que no projecto também terá promoção turística onde, segundo Orlando Delgado, vão resgatar aquilo que eram os antigos caminhos vacinais que ligavam a cidade da Ribeira Grande à Porto Novo.

Nestes caminhos, segundo o autarca, será construído um miradouro e também serão reabilitados os acessos para quem queira entrar na Ribeira Grande a pé.

Ainda também, conforme Orlando Delgado as associações comunitárias serão empoderadas criando actividades que servirão as comunidades. Nesse sentido, foram escolhidas Garça de Cima, Corda e João Afonso, que têm trabalhado na transformação agroindustrial.

“Trata de um projecto integrado que vai trazer uma grande mais-valia em termos do turismo, mas também do rendimento das famílias do concelho da Ribeira Grande”, concluiu Orlando Delgado.

O Fundo de Descentralização é um instrumento concebido para apoiar os 22 municípios do arquipélago e as associações locais na implementação de projectos destinados a melhoria da qualidade de vida das pessoas e a combater a pobreza.

É financiado no montante de 4,1 milhões de euros, no âmbito do quarto Programa Indicativo de Cooperação entre a República de Cabo Verde e o Governo do Grão-Ducado do Luxemburgo.

LFS/CP

Inforpress/ Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos