Ribeira das Patas ganha agência dos Correios de Cabo Verde com serviço de Moneygram e Caixa Económica

Porto Novo, 01 Set (Inforpress) – A empresa Correios de Cabo Verde reabriu hoje a sua agência na Ribeira das Patas, no município do Porto Novo, em Santo Antão, trazendo de volta “uma instituição outrora marcante na vida das pessoas desta comunidade”.

O presidente do conselho da administração (PCA) dos Correios de Cabo Verde, Isidoro Gomes, explicou que a reabertura dos serviços na Ribeira das Patas enquadra-se na visão desta empresa de expandir os seus postos para, além do “atendimento tradicional”, trazer consigo “serviços adicionais”.

No caso da Ribeira das Patas, a agência dos Correios de Cabo Verde, que funciona no edifício da delegação municipal, presta ainda aos clientes serviços de Moneygram e da Caixa Económica.

Isidoro Gomes disse que a empresa que dirige tem em carteira projectos estruturantes para reforçar a sua presença junto das localidades, anunciando, ainda para este ano, a abertura de novas agências em outros pontos do País, quais sejam, em Santa Maria (Sal), Mosteiros, São Domingos e Santa Cruz.

Além disso, avançou, os Correios de Cabo Verde têm em curso um outro projecto, “acima dos 200 mil contos”, que consiste na reabilitação de todas as suas agências espalhadas pelo arquipélago.

O presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, presente no acto de reabertura da agência dos Correios de Cabo Verde na Ribeira das Patas, disse que esta medida visa “trazer de volta um serviço que existiu desde o tempo colonial” nesta povoação.

Aníbal Fonseca rendeu uma homenagem a esta empresa, com a qual, a seu ver, “as pessoas têm uma ligação bastante profunda, não só por ser a empresa mais antiga do País, com 176 anos, mas também pela “ligação histórico-familiar íntima com o País todo”.

O acto foi presidido pelo ministro de Estado e da Família e Desenvolvimento Social, Fernando Elísio Freire, que enalteceu o facto de a reabertura destes serviços facilitar a vida das pessoas que vivem na Ribeira das Patas e arredores, constituindo ainda “um sinal claro de proximidade” dos Correios de Cabo de Cabo Verde e da Caixa Económica com a população local.

Trata-se, segundo o ministro, de “uma medida extremamente importante” já que representa “aquilo que o Governo quer para as empresas públicas”, ou seja, a prestação de um serviço público, estando, neste caso, “a dar exemplo” os Correios de Cabo Verde.

JM/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos