Retrospectiva/Transportes: Privatização da TACV e contrato de concessão dos transportes marítimos marcam ano 2019

Cidade da Praia, 22 Dez (Inforpress) – O ano de 2019 ficou marcado por grandes novidades nos transportes, nomeadamente a concretização da privatização dos TACV e a assinatura do contrato de concessão dos transportes marítimos e início das operações da empresa Cabo Verde inter-ilhas.

Em Março, o Governo vendeu 51 por cento (%) da TACV por 1,3 milhões de euros à Lofleidir Cabo Verde, uma empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF e em 30% por empresários islandeses com experiência no sector da aviação.

Para além dos 51% da Lofleidir Cabo Verde, o Governo conseguiu ainda alienar, via Bolsa de Valores, mais 10% do seu capital social, dos quais 3% foram adquiridos pelos trabalhadores e 7% pelos emigrantes, estando ainda na posse do Estado os 39% que devem ser vendidos aos investidores nacionais e internacionais.

A privatização dos TACV foi aplaudida pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) que, numa missão realizada ao país em Março, classificou a medida de acertada, salientando que vai contribuir para a estabilidade e crescimento económico do país.

Desde a aquisição do capital pela Lofleidir Cabo Verde, a empresa abriu novas rotas e aumentou o número aeronaves e de voos, e entre Março e Outubro tinha já transportado mais de 200 mil passageiros, conforme dados apresentados pela empresa.

Ainda a nível dos transportes destaque ainda para a via marítima, com assinatura do contrato de concessão de serviço público dos transportes marítimos de passageiros e cargas e o consequente inicio das operações da empresa Cabo Verde Inter-ilhas.

Liderada pela portuguesa Transinsular, que detém uma quota de 51%, a empresa foi também integrada pelos armadores cabo-verdianos com outros 49% das acções.

Na altura da assinatura do contrato, o presidente do conselho de administração da Transinsular afirmou que o transporte marítimo em Cabo Verde vai contar com cinco navios, prevendo a concessionária um investimento inicial de meio milhão de euros.

Entretanto, desde o início da sua actividade a nova empresa tem operado com recurso aos navios já antes no mercado nacional, nomeadamente os navios ‘Inter Ilhas’, da Polaris, o ‘Liberdadi’, o ‘Kriola’ e o ‘Praia d’Aguada’ da Cabo Verde Fast Ferry, em regime de aluguer.

No início de Dezembro, o ministro dos Transportes, José Gonçalves, anunciou a chegada de um novo barco em Janeiro, vindo da Coreia do Sul.

O Governo entende que essa solução vai “disponibilizar ao país ligações marítimas inter- ilhas em condições de regularidade, previsibilidade, qualidade e segurança”.

Ainda a nível dos transportes, realce para a entrada em vigor das novas as tarifas aéreas domésticas de passageiros, que obriga a companhia aérea Binter Cabo Verde, no quadro da tarifa social, a um “desconto mínimo de 40 % em relação à tarifa de referência.

A empresa fica também obrigada e reservar “pelo menos 10% dos lugares” por cada linha para indivíduos com idade igual ou superior a 65 anos, equipas desportivas inscritas nas federações em competição oficial, membros de famílias numerosas e para estudantes com idades compreendidas entre os 12 e os 25 anos.

Os dados do Instituto Nacional e Estatística (INE), referentes ao terceiro trimestre de 2019, demonstraram que Cabo Verde registou um acréscimo de 8,7% de aviões movimentados nos aeroportos e aeródromos nacionais, um acréscimo de 12,3% do número de navios movimentados nos portos nacionais e um aumento de 7,1% no número de passageiros transportados nos autocarros, face ao mesmo período de 2018.

MJB/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos