Responsável pelas ‘startups’ na “Web Summit” diz que evento representa muitas oportunidades para jovens cabo-verdianos

Cidade da Praia, 04 Abr (Inforpress) – O responsável pela selecção das empresas da “Web Summit” afirmou hoje que o evento organizado em Lisboa e Dublin representa muitas oportunidades para jovens cabo-verdianos participarem e terem acesso a uma rede global de investidores.

Ricardo Lima falava, filho de pais cabo-verdianos, é responsável pela escolha das ‘startups’ que se apresentam não só nesta maior feira tecnológica da Europa, mas também em outras conferências, nomeadamente, Collision no Canadá, Rise Conference, em Hong Kong e Money Conf, em Dublin.

Em declarações à imprensa, à margem de uma “conversa aberta” que teve como objectivo a capacitação técnica para a elaboração do Pitch e orientações para a participação em concursos nacionais e internacionais, disse acreditar que há muitas oportunidades, especialmente para a “startups” cabo-verdianas participarem na Web Summit.

Através do evento, elucidou, os jovens cabo-verdianos podem adquirir experiências junto dos “startups” de outros países, considerando, por outro lado, o factor linguístico como “barreira menor” a ser enfrentada pelas empresas nacionais em caso de participação.

“É bom um jovem de Cabo Verde ver outras oportunidades que se abrem não só no seu país como noutros países e vejo essa iniciativa como algo muito positivo para o futuro em Cabo Verde. Em termos práticos, podem ter acesso a uma rede global de investidores, podem ter acesso a capital, ligações potenciais parceiros”, indicou.

Entretanto, defendeu, por outro lado, que para que os jovens cabo-verdianos possam criar e expor os seus projectos os mesmos precisam sempre de incentivos, frisando que esta área tem desafios e constrangimentos que podem dificultar na concretização dos projectos.

Por seu turno, o presidente da Pro-Empresa, Pedro Barros, congratulou-se com esta iniciativa, mostrando-convicto de que o futuro do planeta passa, essencialmente, pela criação de projectos inovadores e empreendedores.

“Este momento será de muita conversa com uma pessoa com alguma experiência, que vai explicar aos nossos jovens detentores de projectos inovadores como é que esse mundo funciona, designadamente que condições que têm que estar criadas para que poderem apresentar os projectos e participar na Web Summit”, disse, considerando o evento como incentivo aos jovens cabo-verdianos na criação, promoção e divulgação dos seus trabalhos.

A Web Summit é a maior conferência da Europa em tecnologias, realizada anualmente desde 2009. A empresa foi fundada por Paddy Cosgrave, David Kelly e Daire Hickey.

A “conversa aberta” realizou-se no âmbito primeira edição do SDG Youth Festival, promovida pela Associação Internacional de Estudantes Económicas e Comercias (AIESEC), que está a decorrer na cidade da Praia.

A AIESEC é uma plataforma internacional que possibilita o desenvolvimento pessoal e profissional de jovens estudantes através de programas de trabalho em equipe, liderança e intercâmbio.

A AIESEC, cuja sede está localizada em Roterdão, Holanda, é a maior organização mundial de estudantes e está presente em mais de 120 países com mais de 86.000 membros e 8000 organizações parceiras.

CM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos