Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

REPORTAGEM: Água canalizada em casa ainda é sonho de muitas famílias praienses (c/vídeo)

Cidade da Praia, 22 Mar (Inforpress) – Muitas famílias em alguns bairros da Cidade da Praia ainda desejam usufruir de água canalizada nas suas residências, bem essencial que lhes chega à casa, em 2021, através de autotanques ou recorrendo aos chafarizes, mas sempre enfrentando dificuldades.

No bairro Monte Pensamento, por exemplo, muitos têm acesso a este bem básico por meio de autotanques, como é o caso da primeira moradora daquela zona, Maria Olinda Dias. Esta avançou à Inforpress que há onze anos que ali mora, mas até hoje não tem água domiciliária.

“Há moradias mais abaixo que podem ter água canalizada em casa, mas aqui em cima ainda não fizeram a ligação e nos disseram que não conseguem subir com a água”, precisou aquela vendedeira de profissão.

Ter água canalizada é um “desejo” de todos daquela região, afirmou Maria Olinda, justificando que comprar água nos autotanques não compensa, o que torna “difícil” ter água suficiente para o uso doméstico. Às vezes, revelou, recorre à vizinhança.

Segundo ela, não ter água canalizada nos lares tem causado “muitos” problemas à população do Monte Pensamento, porque, conforme elucidou, têm que vigiar autotanques todos os dias, e por vezes falta dinheiro para adquiri-lo.

“Temos vontade de ter água canalizada porque comprar um barril de água a 250 escudos e botijas a 50 escudos não dá”, assegurou a vendedeira, salientando que recebem visitas das autoridades municipais, mas os mesmos não lhes apresentam “soluções” para este problema que tanto os aflige.

Ressaltou ainda que já levaram esta necessidade às autoridades juntamente com o problema de estradas, visto que, precisou, já teve até justificativa de que não podem levar água ao Monte Pensamento por falta de estradas em condições, mas sem sucesso.

Maria Olinda destacou ainda a importância da água canalizada em casa, garantindo, igualmente, que estão dispostos a pagar por ela.

“Quase 12 anos morando aqui sem água, sem nada”, lamentou Maria Olinda, apelando às autoridades a apoiar a população daquela zona “pelo menos com a água”.

Também no bairro Alto da Glória, os moradores há muito anseiam ter água canalizada nas suas casas e dizem estar cansados de ainda terem de recorrer a outros meios para terem acesso a esse bem precioso.

Luísa Ribeiro, moradora daquela zona, disse à Inforpress que há muito que os serviços de água instalaram o contador na sua casa, mas até hoje “não ligaram a água”, pelo que, quando não há água no chafariz, é obrigada a comprar água em Terra Branca ou pede na vizinhança.

“Se não temos água não podemos fazer nada em casa”, disse, salientando que é “cansado” ter que sair para apanhar água”, e apelou, também, a quem de direito para fazer a ligação de água nas casas daquele bairro.

A zona possui um chafariz, mas segundo a responsável, Ana Maria, o registo da venda da água é muito baixo, isto porque, frisou, muitos têm preferido comprar nas casas com indícios de roubo de água.

“Temos água aqui todos os dias, mas poucas pessoas compram no chafariz, porque existe muito roubo de água na região, e a maioria que não tem água canalizada, ainda, compra água nestas casas por ser o mesmo preço do chafariz”, enfatizou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos