Relatório indica recuperação económica das empresas no primeiro trimestre de 2022

Cidade da Praia, 07 Set (Inforpress) – O produto Interno Bruto (PIB) aumentou 23 por cento (%) no primeiro trimestre de 2022, traduzindo na recuperação económica das empresas, indica o relatório do Sector Empresarial do Estado (SEE), do Ministério das Finanças.

O documento enviado à Inforpress precisa que no primeiro trimestre do corrente ano o PIB foi de 51.332 mil milhões de escudos, traduzindo-se num aumento de 23% face ao período homólogo, que se fixou nos 41.704 mil milhões de escudos.

De acordo com a mesma fonte, esse aumento foi impulsionado pela “contínua tendência de recuperação, ainda que gradual da actividade económica no País”.

“A recuperação da economia nacional, aliada ao comportamento dos preços internacionais, culminaram em aumentos de preços na generalidade”, aponta o relatório, lembrando que em Dezembro de 2021 a inflação aumentou para o seu valor mais alto desde Novembro de 2013, tendo a inflação média anual situado em 1,9%.

Em relação à dinâmica do volume de negócios, o relatório informa que houve um aumento na ordem de 27% no primeiro trimestre de 2022 face ao período homólogo, e uma taxa de realização de 97% face à previsão, fixando-se nos 8,3 mil milhões de escudos.

Neste particular, ressalta que as empresas ligadas ao sector dos transportes e logísticas, “bastante afectado pela pandemia”, registaram um aumento nos seus volumes de negócios.

Por outro lado, o relatório do Ministério das Finanças, reporta que a eficiência operacional no primeiro trimestre de 2022, reflectiu uma “melhoria significativa” traduzida pela dinâmica positiva do resultado operacional (+70%) e do resultado líquido (+33%).

“Para os respectivos resultados, contribuíram “significativamente” as seis maiores empresas do Sector Empresarial do Estado (SEE) que viram o resultado operacional bruto (EBITDA) passar de 219.763 milhões de escudos negativos para 369.057 milhões de escudos positivos, reflectindo um crescimento de 267,9%”, esclarece.

Aponta ainda que o resultado líquido do SEE no primeiro trimestre é resultante de 12 empresas analisadas com valor positivo de 617.620 milhões de escudos e de 20 empresas com valor negativo de 1,5 mil milhões de escudos.

Para o resultado líquido negativo, quatro empresas – AdS, Electra, TACV e TICV – contribuíram com 80% do valor, precisa o relatório.

O referido relatório apoia a Unidade de Acompanhamento do Sector Empresarial do Estado (UASE) no seu processo de monitorização e acompanhamento junto das empresas pertencentes ao SEE, bem como, na identificação precoce e consequente mitigação de potenciais riscos fiscais que as empresas públicas possam representar para o Estado.

OM/AA

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos