Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Reitora da Universidade de Cabo Verde pede mais apoio ao Governo

Cidade da Praia, 08 Out (Inforpress) – A reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Judite Nascimento, disse hoje, na Cidade da Praia, que esta instituição do ensino superior precisa do suporte do Governo para fazer face às suas necessidades financeiras.

A primeira responsável da Uni-CV, disse em declarações à imprensa, que a instituição que dirige criou, no quadro da pandemia da covid-19, um movimento de apoio aos estudantes por causa da situação financeira das famílias.

“Este movimento mobilizou recursos, internamente e junto de parceiros, que chegaram aos estudantes mesmo em situação de quarentena, através, sobretudo, da nossa parceira Cáritas de Cabo Verde”, revelou Judite Nascimento,

A reitora da Uni-CV, que falava à imprensa à margem do acto de abertura do ano académico 2021/2022, presidida pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse que o movimento recolheu não só cestas básicas, como também algum valor monetário para apoiar os estudantes que se encontravam numa situação preocupante.

Segundo ela, os apoios foram direccionados, particularmente, aos estudantes de outras ilhas, que estavam longe de famílias em situação de quarentena e sem o apoio familiar.

Para Judite Nascimento, o Governo deve “reforçar as bolsas de estudo” e de um sistema de acção social de financiamento do ensino superior que permita aos estudantes cumprirem os seus compromissos perante a Uni-CV e obterem uma “formação de qualidade”.

Os grandes pontos críticos da Uni-cv, de acordo com a sua reitora, tem a ver com a estrutura de financiamento.

“Se conseguíssemos arrecadar todas as receitas previstas, a universidade não pediria nem mais um tostão ao Governo”, informou, acrescentando que os estudantes, ao acumularem as dívidas, acabam por afectar a instituição.

Instada se neste momento as dívidas dos estudantes são elevadas, afirmou que sim, justificando que estes se habituaram a pagar as propinas só nos “momentos críticos”, ou seja, quando têm de se inscrever para os exames ou matricularem-se.

Revelou à Inforpress que durante os seus oito anos de gestão, o pessoal da Uni-CV tem recebido os respectivos salários até ao último dia do mês.

Admitiu, entretanto, que em relação aos docentes a tempo parcial a situação é diferente.

“Quando não temos recursos suficientes arrecadados num mês, o que fazemos é adiar o pagamento desses professores, mas nunca deixamos de pagar”, sublinhou a reitora da Uni-CV.

Em Novembro admite fazer o discurso de despedida porque os estatutos da Uni-CV não permitem três mandatos sucessivos.

“Ao olhar para este Campus, vou terminar o meu mandato com o sentido de dever altamente cumprido”, advogou Judite Nascimento, concluindo que a cidade universitária é uma “grande amostra” do seu empenho e profissionalismo, assim como de toda a comunidade académica da Uni-CV.

A Uni-cv tem mais de 400 professores e 27% desses docentes são doutores e é uma das instituições mais digitalizadas de Cabo Verde.

LC/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos