Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Reitora da Uni-CV anuncia para Setembro realização do Fórum Internacional sobre alterações climáticas (c/áudio)

Cidade da Praia, 03 Abr (Inforpress) – Cabo Verde acolhe em Setembro um Fórum Internacional sobre as alterações climáticas e a segurança alimentar com o objectivo de apresentar à sociedade e aos decisores os resultados das investigações desenvolvidas pelas instituições membros do CIICLAA.

A reitora da Universidade de Cabo Verde (UNI-CV) fez hoje esta revelação durante a apresentação do Centro Internacional de Investigação Climática e Aplicações para a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e África (CIICLAA), que decorreu no Campus da Uni-CV.

A partir dos trabalhos dos investigadores, diz a reitora da universidade pública, Judite Nascimento, os decisores podem adoptar medidas no sentido da mitigação do impacto das mudanças climáticas.

Lembrou que Cabo Verde atravessa o terceiro ano de secas e com influência a nível da segurança alimentar, pelo que acredita que o Governo “vai aproveitar os resultados destes estudos desenvolvidos por peritos de renome internacional”.

O CIICLAA, segundo Judite Nascimento, é um centro internacional que inclui 21 instituições de cinco países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que desenvolvem, por um lado, investigação científica no domínio de clima, meteorologia e segurança alimentar e, por outro, reúne instituições de investigação aplicada, como o caso do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário e outros do tipo em diferentes países da CPLP.

O CIICLAA reúne ainda instituições do Estado como direcções nacionais e ministérios que são decisores.

De acordo com Judite Nascimento, as referidas instituições podem produzir informações e analisá-las com vista a transforma-las em “conhecimento científico”, além de formar quadros capazes de actuar no terreno, não só como dirigentes, mas também como técnicos.

Na sua perspectiva, com os dados transformados em conhecimento científico é possível dispor de base para se precaver os impactos das catástrofes, “que não se pode evitar, mas os efeitos podem ser mitigados”.

O CIICLAA foi criado em 2015, na Cidade da Praia, por 22 instituições da CPLP integrado por organismos ligados às geociências ambientais

A apresentação do CIICLAA em Cabo Verde esteve a cargo do seu director executivo José Pimenta Lima e, na ocasião, foi apresentado o Mestrado em Clima, Riscos e Catástrofes Naturais (MCRCN), que visa formar profissionais capazes de integrar nas suas actividades específicas as características pluridisciplinares implicadas nos processos de Clima Riscos e Catástrofes Naturais.


LC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos