Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Região Sanitária Santiago Norte conta com 1.639 doadores voluntários e benévolos de sangue – responsável (c/áudio)

Assomada, 14 Jun (Inforpress) – O responsável do Banco de Sangue da Região Sanitária Santiago Norte (RSSN) anunciou hoje que a instituição tem inscritos 1.639 doadores voluntários e benévolos de sangue, número que considerou “insuficiente” para as suas necessidades.

A informação foi avançada hoje à Inforpress pelo responsável do Banco de Sangue da RSSN, Cecílio Pires, a propósito do Dia Mundial de Doadores Voluntários de Sangue, que se assinala hoje, sob o lema “dê sangue, faça bater o coração do mundo e subtema sensibilização dos jovens em tempo da covid-19”.

“De momento o problema que se põe é a fidelização deste número [1.639], ou seja, que quem doou pela primeira vez retornasse. Anualmente registamos 600 colheitas e destas temos 500 e tal transfusões”, disse o responsável.

É que, segundo ele, para que possam conseguir garantir ‘stock’ 50 por cento (%) dos 1.639 doadores voluntários teriam que doar o sangue pelo menos duas vezes por ano, tendo em conta que 50% de doadores que apoiam os seus serviços são familiares dos doentes.

A este propósito, lembrou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que 100% das doações de sangue têm que ser de forma voluntária e benévola e não remunerada.

Nesse sentido, para que possam alcançar a tão almejada “fidelização” dos doadores voluntários e benévola de sangue, Cecílio Pires adiantou que vão continuar a apostar em campanhas de sensibilização para que estas pessoas possam doar o sangue pelo menos duas vezes/ano.

Por isso, vão às comunidades, escolas e universidades para explicarem as pessoas o que é doação de sangue, o seu processo e a importância de as mesmas doarem sangue, visando “quebrar tabus” e para que possam ter sangue no hospital à espera dos doentes e não ter doentes à espera que as pessoas venham doar o sangue.

A RSSN conta, neste momento, com um posto fixo no Hospital Regional Santa Rita Vieira (HRSRV) e outro na Delegacia de Santa Catarina, em Assomada, que entrou em funcionamento há dois anos.

Relativamente ao posto de colheita de sangue da Delegacia de Saúde de Santa Catariana, em Assomada, adiantou que a meta é dinamizá-lo para que pelo menos possa haver colheita duas vezes por semana, ou seja, nos dias de feira, quartas-feiras e sábados.

No seu entender, se se conseguir pelo menos cinco colheitas de unidade de sangue neste posto de colheita de sangue vai ajudar na auto-suficiência do Banco de Sangue da RSSN.

“O tipo RH negativo por ser o mais raro é o garante do Banco de Sangue, porque tendo-o se está seguro, por este servir para qualquer paciente”, explicou, apelando às pessoas deste tipo sanguíneo e outros para aderirem a esta causa de doação de sangue.

Para não deixar passar em branco as celebrações do Dia Mundial dos Doadores de Sangue, a RSSN início este domingo, 13, as actividades com a campanha de doação de sangue com um grupo de jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Para hoje, está patente no HRSRV uma exposição sobre a evolução do Banco de Sangue da RSSN nos últimos 12 anos. Para o dia 16, está prevista uma actividade na biblioteca do HRSRV dirigido aos profissionais de saúde da região.

As actividades culminam com uma mesa redonda com todas as delegacias de Saúde, Banco de Sangue, HRSRV, Gabinete Técnico da RSSN e parceiros para discutirem as estratégias para que o Banco de Sangue da RSSN possa ser autónomo, auto-suficiente e com capacidade para dar respostas a todas as suas necessidades.

FM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos