Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Reforço da integração de Cabo Verde na CEDEAO é um imperativo não apenas económico, mas também político – PR

 

Cidade da Praia, 28 Abr (Inforpress) – O Presidente da República defendeu hoje, na Cidade da Praia, que o reforço da integração de Cabo Verde na Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO) “é um imperativo não apenas económico, mas também político”.

“Não obstante a pertença de Cabo Verde a grupos como a CPLP e os PALOP, a sua localização geográfica impõe que uma atenção particular seja concedida à integração regional”, afirmou Jorge Carlos Fonseca, na cerimónia de abertura da conferência Parlamentar sobre o reforço da integração de Cabo Verde na CEDEAO e oportunidades económicas no espaço desta comunidade.

Para o chefe de Estado, a aposta de Cabo Verde numa integração plena só é possível quando os cabo-verdianos e os cidadãos dos demais países da CEDEAO começarem a ter um melhor o conhecimento mútuo da realidade de cada um dos países que integra a Comunidade.

“Sabemos que há um mercado potencial por explorar! Só o poderemos fazer apostando numa economia diversificada, trocando experiência com os nossos parceiros e procurando sempre conhecer as especificidades de cada um dos mercados que compõem a CEDEAO”, sublinhou Jorge Carlos Fonseca.

No quadro da política de integração plena, Jorge Carlos Fonseca defendeu que os cabo-verdianos têm de ser criativos e acutilantes na defesa da sua pertença à CEDEAO.

“Teremos que ser perspicazes, olhar para a nossa região de frente, ver e estudar até onde poderemos ser úteis ao espaço da CEDEAO, sempre tendo em linha de conta a nossa especificidade e vulnerabilidade enquanto país arquipelágico”, salientou.

As potencialidades económicas da sub-região são importantes, mas, “infelizmente, ainda não são suficientemente aproveitadas, em grande parte em decorrência de limitações em infraestruturas, transportes, comunicações, organização, entre outras que a instabilidade política existente em alguns países dificulta encarar de frente”, realçou o presidente.

“Cabo Verde quer e pode ser útil à CEDEAO, assim como esta Comunidade económica é útil a Cabo Verde. Precisamos de encontrar formas de estabelecer, num futuro muito próximo, linhas marítimas e aéreas que possam fomentar e dinamizar trocas comerciais entre os países da CEDEAO, uma necessidade reconhecida por todos e que exige de cada um de nós uma resposta eficaz e oportuna”, afirmou o Chefe de Estado.

Na ocasião, Jorge Carlos Fonseca disse também que não será possível aproveitar totalmente as potencialidades da CEDEAO se não for possível equacionar e resolver os conflitos que persistem na região.

O presidente do Parlamento da CEDEAO, Moustapha Cissé Lo, no seu discurso prometeu que a sua equipa vai fazer todos os esforços no sentido de efectivar a implementação dos protocolos e programas comunitários que promovam a integração entre todos os membros da comunidade.

Os países só se sentirão membros da CEDEAO se intensificar as trocas comerciais e culturais. Para os países que integram a CEDEAO é fundamental um sentimento de pertença à comunidade”, realçou Moustapha Cissé Lo.

O presidente do Parlamento da CEDEAO sublinhou, igualmente, a importância da sessão desconcentrada desse parlamento regional, realizada em Cabo Verde, que analisou questões importantes relacionadas com a imigração clandestina e o subemprego dos jovens.

JL/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos