Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Realizadora palestiniana Annemarie Jacir vai adaptar romance de Agualusa

Lisboa, 05 Mar (Inforpress) – O romance “Teoria geral do esquecimento”, do escritor angolano José Eduardo Agualusa, vai ser adaptado para cinema pela realizadora palestiniana Annemarie Jacir, revelou o programa europeu Eurimages, que apoiará a produção do filme.

O projecto, com o título inglês “The oblivion theory”, recebeu na quarta-feira um prémio do Eurimages de apoio ao desenvolvimento, no valor de 20.000 euros, no âmbito do mercado de co-produções que decorre esta semana no Festival de Cinema de Berlim.

O filme será uma produção franco-alemã, com realização da escritora e realizadora palestiniana Annemarie Jacir, e com a narrativa ficcional a ser transposta de Angola para a Faixa de Gaza, durante a primeira Intifada (1987-1993).

No romance de Agualusa, editado em 2012, a história decorre em Luanda e começa nas vésperas da proclamação da independência de Angola, no dia 11 de Novembro de 1975, quando uma mulher portuguesa decide erguer um muro que a separa do edifício onde mora, acabando por sobreviver isolada durante cerca de 30 anos.

No filme, há uma mulher, norte-americana, que acidentalmente fica retida num apartamento em Gaza, tornando-se numa “testemunha improvável e numa sobrevivente num país no meio de um conflito”, escreveu a revista Variety.

Annemarie Jacir, 47 anos e descrita como “uma das figuras da Nova Vaga [do cinema] árabe”, trabalha em cinema há mais de duas décadas, sendo autora de filmes como “Wajib” (2017), “When I saw you” (2012) e “Salt of the sea” (2008), todos eles candidatos pela Palestina a uma nomeação para os Óscares.

Com “Teoria Geral do Esquecimento”, José Eduardo Agualusa já foi distinguido com vários prémios, entre os quais o Prémio Fernando Namora e o prémio literário internacional de Dublin.

O 71.º Festival de Cinema de Berlim termina na sexta-feira, com uma primeira etapa dedicada apenas a profissionais, ficando reservada para Junho a programação oficial com público em sala, tendo em conta o contexto da situação pandémica da covid-19.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos