Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Questão ambiental e melhoria das trilhas são algumas das preocupações da Associação dos Guias de Turismo de Santiago (c/áudio)

Cidade da Praia, 27 Jun (Inforpress) –  O presidente da Associação dos Guias de Turismo de Santiago, Fredy Cardoso, disse hoje à Inforpress que a questão ambiental e melhoria dos caminhos constitui uma das principais preocupações da classe e dos turistas que visitam o país.

Criada em 2016, a Associação dos Guias de Turismo de Santiago, segundo o seu presidente, vem trabalhando para dar uma maior visibilidade e valorização da classe junto do Estado e da sociedade.

Esta associação, disse, surgiu com a intenção de juntos e numa só voz conseguirem lutar pelos seus direitos e deveres, como ter a classe regulamentada, ter institucionalizado um dia nacional do guia de turismo e lutar pelas causas ambientais.

“No que toca as questões que mais nos preocupa é a questão ambiental, a poluição do ambiente, sobretudo o plástico porque por onde quer que vamos, aqui em Santiago, pelo menos, estamos sempre a deparar com lixos nos caminhos e nas aldeias”, apontou, ajuntado a questão da melhoria da qualidade técnica dos caminhos onde realizam as caminhadas.

Segundo disse, muitos desses caminhos são “escorregadios e perigosos” e põem em risco a vida dos turistas, dos guias e das próprias pessoas que vivem nessas zonas.

Fredy Cardoso espera conseguir, com o apoio das autoridades locais e centrais e a própria comunidade, resolver essas questões para uma maior dinâmica deste sector e para o desenvolvimento do país.

“Queremos ter este tipo de turismo para Santiago. Turismo de natureza, focando nas caminhadas, na visita às vilas e aldeias, as organizações não-governamentais e tentar fazer uma maior interacção entre o visitante e o local”, almejou.

Tendo zonas e vilas mais apetrechadas e higienizadas, Fredy Cardoso acredita que vão poder aumentar esse fluxo de turistas para visitar as zonas e comunidades, “com o privilégio de apreciarem o que de mais belo há na ilha de Santiago e em Cabo Verde, que é a natureza”.

Este responsável avançou que, actualmente, existem cerca de 80 guias a operar no mercado na ilha de Santiago, entretanto, desses apenas 40 são formandos e 29 estão filiados na associação.

Avançou que nos próximos dois meses vão fazer o cadastro dos guias na ilha de Santiago, que lhes vai permitir, posteriormente, ter uma base de dados com as informações básicas dos guias, isto é, o perfil dos guias.

AM/CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos