Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

UniPiaget quer continuar a cumprir a sua missão servindo Cabo Verde com a formação de recursos humanos – reitor

Cidade da Praia, 03 Mai (Inforpress) – O reitor da Universidade Jean Piaget destacou hoje o contributo da instituição no desenvolvimento de Cabo Verde, afiançando que a mesma quer continuar a cumprir a sua missão servindo o país com a formação de recursos humanos.

Wlodzimierz Szymaniak fez estas afirmações em entrevista à Inforpress, a propósito do 20º aniversário deste estabelecimento de ensino superior, que se celebra no dia 07 de Maio, tendo lembrado que após a sua abertura em 2001, com apenas o curso de Sociologia, a UniPiaget celebra 20 anos de existência com cursos diversificados.

“É uma data carregada de significado, penso que neste momento a Universidade Jean Piaget está na fase de consolidação e podemos dizer, com orgulho, que outras instituições de ensino superior nos seguiram e agora temos várias universidades em Cabo Verde”, asseverou.

Ao longo dos anos, indicou, a UniPiaget já formou milhares de pessoas ao nível de graduação, pós-graduação, formação permanente, publicou centenas de trabalhos científicos e realizou vários projectos de investigação, salientando que a presença da universidade está vivida na paisagem científica, empresarial social e na área de saúde em Cabo Verde.

Passados 20 anos de existência, prosseguiu, a UniPiaget tem sabido cumprir a sua missão de formação de recursos humanos, ressalvando que a mesma é uma universidade de referência a nível nacional e internacional.

Wlodzimierz Szymaniak apontou o fortalecimento da área de investigação como principal desafio, lamentando neste sentido, o facto desta área ser ainda considerada um “parente pobre” em Cabo Verde porque, conforme alega, os estabelecimentos de ensino superior não têm tido o peso na investigação que deveriam ter.

Segundo este responsável, o percurso da UniPiaget é marcado por ganhos e constrangimentos, destacando o fraco grau de preparação dos estudantes que terminam o 12º ano de escolaridade e a falta de recursos financeiros das famílias, como alguns constrangimentos permanentes que a universidade enfrenta.

As perspectivas da Universidade Jean Piaget, de acordo com Wlodzimierz Szymaniak, passam pela internacionalização da mesma, defendendo que esta tendência deve ser seguida por todas as universidades cabo-verdianas para que a Cidade da Praia seja transformada no “cluster de referência de ensino superior para toda a África Ocidental”.

No contexto da covid-19, de acordo com o reitor, a UniPiaget continuou a cumprir a sua missão de formação de recursos humanos e a contribuir no desenvolvimento do país, com formato de ensino presencial e à distância, sublinhando que esta situação serviu, por outro lado, de reflexão e motivo de mudança de alguns hábitos e desenvolvimento de competências.

“Não estamos no momento de vacas gordas, mas, por outro lado, durante este ano académico tivemos mais afluência dos estudantes cabo-verdianos de que no ano anterior”, realçou, considerando neste quadro que o balanço dos 20 anos de existência “é positivo” e enalteceu a confiança dos cabo-verdianos na escolha da UniPiaget para a formação superior.

A Universidade Jean Piaget de Cabo Verde é um estabelecimento de ensino superior, criado pelo Instituto Piaget, e tem como missão contribuir para a formação dos recursos humanos em Cabo Verde, bem como para o desenvolvimento de competências locais imprescindíveis para o desenvolvimento do país.

Reconhecido pelo decreto-lei n.º 12/2001 como um estabelecimento de ensino superior de interesse público, a UniPiaget iniciou as suas actividades no dia 7 de Maio de 2001 com a abertura do 1º ano do curso de Sociologia.

Em 2005, a UniPiaget abriu um Pólo Universitário na cidade do Mindelo que começou a funcionar com três cursos de graduação (Ciências da Educação e Praxis Educativa, Economia e Gestão e Engenharia de Sistemas e Informática). Em 2007 abriu também o curso de Arquitectura.

O Pólo funciona sob a supervisão de um Director dos Serviços Administrativos e de um adjunto da Reitoria.

Hoje, a universidade acolhe cerca de 1.500 alunos afectos aos 16 dos 26 cursos homologados. O número de docentes ronda os 250, repartidos por vários regimes de contratação e graus académicos.

CM/CP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos