Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Quatro bancos comerciais vão disponibilizar 575 mil contos para promoção do empresariado jovem

 

Cidade da Praia, 21 Jun (Inforpress) – O Governo assinou hoje, na Cidade da Praia, protocolos com quatro bancos comerciais visando a disponibilização do montante de 575 mil contos para a promoção do empresariado jovem em Cabo Verde.

Estes protocolos foram rubricados na presença do primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, durante a apresentação do Programa Start-up Jovem, que visa promover o empreendedorismo na produção de bens e serviços, geração de empregos e rendimentos sustentáveis.

Com a assinatura destes protocolos, os bancos vão disponibilizar créditos em condições favoráveis porque o Estado vai assumir 50 por cento (%) da taxa de juro bonificado e garantir 50% do montante de crédito, confirmou Ulisses Correia e Silva aos jornalistas.

O programa como está concebido há riscos reduzidos por parte dos bancos quando o Estado garante 50% da cobertura do crédito, afirmou o Chefe do Governo.

“Se o banco fixar uma taxa de juro de 7%, um jovem empreendedor vai ficar apenas com um encargo de 3,5%. Quer dizer que estão a ser criadas as condições para os jovens que querem empreender e tenham boas ideias, bons projectos e viáveis e bancável”, sublinhou o primeiro-ministro.

O chefe do Governo disse que a disponibilidade financeira existe e espera-se que os jovens possam aproveitar esta “boa dinâmica”.

“É um conjunto de pacote de soluções integradas que espero que tenha um grande impacto nacional e não apenas circunscrito a Cidade da Praia”, salientou Ulisses Correia e Silva.

O primeiro-ministro afirmou que “há todas as condições criadas” para, em conjunto, o Governo, através da Pro-empresa, instituição de apoio empresarial, os bancos e as incubadoras e o empreendedor poder ter “um bom produto, um bom serviço” para colocar ao serviço dos jovens.

Para além da Pro-empresa, a AMES, a AJEC, as incubadoras e as câmaras municipais são as instituições que vão apoiar os jovens empreendedores na elaboração de projectos.

Durante a apresentação do Programa Start-up Jovem, Ulisses Correia e Silva disse também que através da Pro-empresa vai-se fazer a divulgação e marketing para que um jovem que quer candidatar-se ao programa possa faze-lo através de uma plataforma digital.

“Assim estamos a criar as condições de democratizarmos o acesso e permitir que os projectos venham a ser escolhidos por mérito”, frisou o chefe do Governo.

Na ocasião, o presidente da Pro-empresa, Marco Aguiar, explicou que a instituição que ele vai dirigir tem como missão facilitar e acompanhar o empresariado nacional, nomeadamente as pequenas e médias empresas.

“O objectivo da Pro-empresa é levar o empresariado nacional a ter ganhos de eficiência e de tempo na sua relação com várias entidades que actuam no ecossistema empresarial”, realçou Marco Aguiar.

Relativamente ao Programa Start-Up Jovem, Marco Aguiar garantiu que todas as áreas são elegíveis, desde que o projecto seja “estruturante”, tenha a viabilidade económica e crie o emprego.

O Governo criou, através da resolução nº34/2017 de 25 de Abril, o Programa Start-up Jovem, associado ao desenvolvimento de uma ideia inovadora de negócio.

Este programa, que se destina a jovens entre os 18 e os 35 anos, com formação superior ou profissional, oferece um conjunto de serviços de apoio aos jovens empreendedores, acções de capacitação em gestão, financiamento de projectos em condições vantajosas e seguimento na implementação dos projectos, assim como a incubação de empresas.

O Programa Start-up Jovem abrange, entre outras condições de financiamentos, projectos dos quinhentos mil escudos, mínimo, a máximo de cinco milhões de escudos, com taxa de juro bonificada em 50% pelo Estado.

A anteceder a apresentação do Programa Start-up Jovem foram assinados também alguns protocolos com as entidades parceiras na execução do programa, nomeadamente a Associação de Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC), a Associação de Mulheres Empresárias (AMES) e algumas Incubadoras.

JL/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos