Quarto Diálogo Estratégico do IPP propõe debater o poder e o papel influenciador dos meios de comunicação social

 

Cidade da Praia, 17 Abr (Inforpress) – O IV Diálogo Estratégico do Instituto Pedro Pires para a Liderança (IPP), a ter lugar a 06 de Maio na Cidade da Praia, quer debater o poder e o papel influenciador dos meios de comunicação social.

Sob o tema “Democracia e imprensa livre”, o instituto tenciona dar o seu contributo para ajudar a “desinibir” a comunicação social no país e a “despistar” eventuais interferências que poderão existir em relação ao pluralismo da informação, ao confronto de diferentes correntes de opinião e ao livre exercício da liberdade de imprensa, explicou a directora executiva do IPP, Indira Pires, hoje em conferência de imprensa na Praia.

Segundo ela, esta edição do diálogo estratégico vai reunir especialistas e profissionais de Cabo Verde, Brasil, Senegal, Portugal e Angola, para discutir a liberdade de imprensa, sobretudo no que diz respeito às questões políticas públicas, já que a mesma deve ser um dos “pilares vitais de qualquer sistema democrático “saudável”.

“O diálogo propõe debater o poder e o papel influenciador dos meios de comunicação social, assim como os reflexos que essa influência poderá ter sobre a liberdade democrática”, explicou, acrescentando a ideia é que o debate sobre a democracia e imprensa livre, permita abordar experiências de outras realidades e que possam, eventualmente, servir de exemplo e inspiração ao caso cabo-verdiano.

Ao abordar a questão da interligação entre a democracia e a imprensa livre, o IPP pretende, conforme Indira Pires, criar um espaço “descomplexado e desapaixonado” de trocas de opiniões, dos desafios e das oportunidades que a promoção de uma ligação “virtuosa” entre esses dois vectores poderá significar para a consolidação da democracia, para o desenvolvimento dos países e para o fortalecimento do exercício da cidadania, melhorando, em última instância, a qualidade de vida dos cidadãos.

De acordo com a responsável, assim como nas anteriores edições do diálogo estratégico, o IPP almeja, essencialmente, promover um espaço de debate aberto e participado que possa contribuir para influenciar comportamentos que confluam para que se atinja um desenvolvimento cada vez mais justo, solidário, responsável e verdadeiramente inclusivo.

Indira Pires garantiu que o tema foi escolhido desde Outubro de 2016, e que o facto de ter havido, recentemente, “um conflito de ideias” entre os jornalistas e o ministro que tutela a comunicação social, foi uma “feliz ou infeliz coincidência”.

Em relação à estrutura do IV Diálogo Estratégico do IPP, como tem vindo a acontecer desde a primeira edição em 2014, vai ser dividido em três momentos, sendo que no primeiro será uma conferência motivacional “Liberdade de imprensa em contextos democráticos” proferido pelo ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim.

O segundo momento será preenchido com a apresentação de dois painéis, nomeadamente, um sobre “Liberdade de imprensa, regulação e responsabilização na era do digital e da globalização” que terá como facilitadora a presidente da Autoridade Reguladora para a Comunicação Social (ARC), Arminda Barros, e os oradores Abdoulaye Bathily, diplomata e politico senegalês, Carlos Magno, jornalista português e Jorge Tolentino, jurista e diplomata cabo-verdiano.

O segundo painel vai abordar “Os media perante os poderes político e económico: entre a isenção e o aspecto da manipulação” a ser proferido pelos oradores Filipe Correia de Sá, jornalista angolano, Pedro Sousa Carvalho, economista e director executivo do jornal português on-line “ECO”, e Rosário da Luz, licenciada em cinema e colunista cabo-verdiana.

O terceiro e último momento do evento que já tem a inscrição aberta, será uma conversa com Pedro Pires sobre “Os media como agentes de desenvolvimento”.

DR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos