Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Psicólogo advoga plano estratégico “massivamente socializado” para a prevenção do suicídio

Cidade da Praia, 10 Set (Inforpress) – O psicólogo Jacob Vicente defendeu hoje, na Cidade da Praia, que é preciso um plano estratégico “massivamente” socializado para a prevenção do suicídio.

Em declarações à Inforpress, no âmbito do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, que se celebra hoje, 10 de Setembro, Jacob Vicente, disse duvidar se o Ministério da Saúde tem plano estratégico sobre a prevenção do suicídio.

“Se existe, porque não foi socializado nos liceus, nas universidades, nos ministérios, na sociedade civil, nas associações comunitárias?”, questionou Jacob Vicente, considerando que esse assunto tem que ser tratado com mais “profundidade”.

O psicólogo apontou, por isso, que a saúde mental em Cabo Verde ainda está “muito longe” de ser algo que interessa à política nacional de saúde.

“Suicídio é consequência de um conjunto de etapas nas pessoas com transtornos mentais que o sistema de saúde e a sociedade cabo-verdiana não estão a conseguir responder”, observou Jacob Vicente, denunciando que não existem psicólogos suficientes nas estruturas de saúde para atentar a população.

“Não temos psicólogos nos centros de saúde e nas instituições do Estado e a nível nacional temos cinco ou seis psiquiatras “, precisou.

Por isso, Jacob Vicente considera que os “ciclos de comemorações”, do Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, referindo à cerimônia de acender velas, são “superficiais”, por incidirem sobre a “consequência, porque o suicídio é causado por algo”.

“É necessário que as ONG [organizações não-governamentais] ou o Núcleo Nacional da Saúde Mental comecem a apresentar estratégicas bem claras para a prevenção do suicídio. Acender uma vela é um gesto nobre, mas estamos muito longe de um combate a sério”, observou.

Jacob Vicente apontou, contudo, que este Dia Mundial de Prevenção do Suicídio deve servir de reflexão sobre as “ferramentas” que estão a ser produzidas para esse combate.

Em relação à incidência do suicídio contexto da pandemia covid-19 adiantou que, segundo o relatório do Psicólogos Voluntários de Cabo Verde, houve um “aumento exponencial” de transtornos psicológicos, principal causa do suicídio, e muita procura dos profissionais de saúde metal.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o suicídio contabiliza cerca de 800 mil mortes, por ano em todo o mundo, sendo que mais de 75 por cento (%) ocorre em países de baixa renda.

A redução da mortalidade por suicídio é um imperativo global e faz parte do compromisso global com o Objectivo de Desenvolvimento Sustentável de reduzir em um terço a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis por meio da prevenção e tratamento e da promoção da saúde mental e do bem-estar.

Em Cabo Verde, a taxa de suicídio conforme dados ronda os 12,3%.

O Dia Mundial de Prevenção do Suicídio visa sensibilizar e convocar os países-membros da Organização Mundial da Saúde para a definição de estratégias destinadas a prevenir o suicídio, que constitui um problema de saúde pública.

OM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos