Proprietários de taxis e hiaces de Santiago preparam serviço de transporte para o IV Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico

 

Cidade da Praia, 29 Set (Inforpress) – Os proprietários de taxis e hiaces de Santiago reúnem-se hoje, na Praia, visando a preparação do serviço de transporte para o IV Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local (FMDEL), que se realiza em Outubro, em Cabo Verde.

À Inforpress, o secretário executivo do Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local (FMDEL), Marco Silva, sublinhou a importância do evento que se realiza de 17 a 20 de Outubro, na Cidade da Praia, e disse que a organização pretende envolver neste encontro todos os operadores económicos que de uma forma ou de outra influenciam na dinâmica deste evento.

“Realizamos este encontro de sensibilização visando transmitir as boas praticas porque durante o fórum vamos precisar de vários tipos de viaturas, nomeadamente autocarros, haices, táxis, entre outros meios de transportes”, disse Marco Silva.

O secretário executivo do FMDEL, garantiu que a preparação do fórum está a decorrer a bom ritmo e informou que neste momento a organização está a sensibilizar e fortalecer o diálogo com os operadores económicos com vista a tirarem proveito do evento que vai decorrer no estádio nacional de futebol, em Monte Vaca.

O Fórum Mundial de Desenvolvimento Económico Local (FMDEL) é um evento bianual e que tem o como o propósito promover o diálogo global sobre o Desenvolvimento Económico Local (DEL), através da partilha de experiências, reforçar alianças entre as partes envolvidas, promover a cooperação a nível nacional e estimular políticas de DEL para a implementação das metas de desenvolvimento sustentável a nível local.

De acordo com um comunicado da organização, a realização deste evento de dimensão mundial em Cabo Verde terá impactos do ponto de vista estratégico e económico para o país.

Além de a integrar o Comité Executivo do evento, onde passa a ter vez e voz no debate global sobre as questões do desenvolvimento local e territorial, será também uma oportunidade para mobilizar e estreitar relações de parcerias a favor de iniciativas de desenvolvimento económico a nível regional, nacional e local, visando os ODS, salienta o documento.

Será ainda mais ocasião para dar a conhecer ao mundo e reforçar, ainda mais, as vantagens competitivas no que concerne à localização estratégica, à boa governação, paz e estabilidade social e política cabo-verdiana.

“O país ganhará experiência, reforçará capacidade e marcará posição no mapa enquanto centro logístico para eventos internacionais”, diz o documento.

Do ponto de vista socioeconómico a realização do fórum em Cabo Verde terá “impacto positivo para as famílias e a economia, na medida em que irá envolver todos os operadores e praticamente todos os sectores económicos, das micro às grandes empresas.

Entretanto para que o evento tenha resultados esperados, implica-se o envolvimento e a parceira de todos os sectores a nível central, dos municípios, do sector privado, organizações da sociedade civil em Cabo Verde e na diáspora, bem como dos parceiros de desenvolvimento do país.

Cabo Verde marcou presença em todas as edições deste fórum, que aconteceu pela primeira vez em 2011, com representantes do governo e dos municípios, sendo que nas duas primeiras edições (2011 e 2013) participou apenas como observador.

JL/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos