Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Projecto Zé Luís Solidário já ajudou oito famílias carenciadas em Santo Antão

Ribeira Grande, 07 Mai (Inforpress) – O responsável do projecto Zé Luís Solidário anunciou hoje que, desde ano passado, já ajudou oito famílias carenciadas dos três concelhos da ilha de Santo Antão, nas várias vertentes sociais, nomeadamente, educação, saúde, alimentação e habitação. 

O responsável do projecto, José Luís Martins, que falava na apresentação do mesmo explicou que o projecto, sem fins lucrativos, trabalha com doações de pessoas.

Através das redes sociais o projecto Zé Luís Solidário posta vídeos e fotografias de famílias que necessitam de ajuda e, com o impacto, muitas pessoas sensibilizam-se e acabam por fazer doações. 

Entretanto, a mesma fonte disse que por postar vídeos e fotografias das pessoas carenciadas que ajuda nas redes sociais recebe muitas críticas e até ameaças. Mas segundo José Luís Martins o objectivo do projecto são as redes sociais. 

“Explicamos às pessoas que nós ajudamos através das redes sociais, não temos fundo e até costumo dizer a essas pessoas que dar o rosto quando precisamos não é vergonha, vergonha é matar, roubar ou ficar calado a sofrer”, enfatizou José Luís Martins que salientou que a imagem tem força em si porque quando colocam só o nome da pessoa que necessita de ajuda ninguém apoia. 

O emigrante radicado nos Estados Unidos da América (EUA), afirmou ainda que existe muita burocracia em enviar donativos para Cabo Verde. É que segundo o mesmo ao enviar uma carga pagam muito dinheiro e ao chegar no arquipélago para fazer o levantamento da mesma tem que pagar muito mais dinheiro. 

José Luís Martins disse ainda que está em Cabo verde com o objectivo de registar o projecto, mas “infelizmente” ainda não conseguiu. 

“Assim que regressar à ilha do Fogo vou tentar registar o projecto para que possamos abrir uma conta bancaria aqui no arquipélago”, frisou Martins. 

O projecto nasceu de forma espontânea, na sequência da pandemia da covid-19, para ajudar as famílias cabo-verdianas que precisavam de apoios durante o período de estado de emergência. 

LFS/HF

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos