Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Projecto PRRA recebe reforço de 90 mil euros da Cooperação Portuguesa

Cidade da Praia, 12 Fev (Inforpress) – O Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA) recebeu hoje da Cooperação Portuguesa 90 mil euros para a implementação do “Projecto de pintura” que visa mudar a imagem das cidades retirando o manto cinza dos bairros.

O acto foi formalizado esta manhã na cidade da Praia, pela ministra das Infraestruturas Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, e pela embaixadora de Portugal, Helena Paiva.

O “Projecto de pintura” está inserido no Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA) e envolve a realização de obras de requalificação nas zonas do país visando mudar a imagem das cidades, retirando o manto cinza que caracteriza alguns dos bairros.

Na ocasião a governante cabo-verdiana adiantou que esse apoio vai consolidar as acções que o Governo tem feito em matéria de requalificação urbana a nível nacional.

“Vamos entrar na fase da pintura, que é um processo longo e terá que envolver necessariamente os actores diversos, a sociedade de uma forma geral, as famílias, o sector privado e as associações e vai começar a identificar locais próprios onde for mais necessário interferir sobretudo nas encostas”, referiu a governante que apelou à participação e o engajamento de todos os intervenientes.

Eunice Silva adiantou que o projecto irá arrancar na ilha de Santo Antão e São Vicente zonas e localidades onde o Governo já está a trabalhar em matéria de requalificação urbana.

Considerou que os dois países têm uma cooperação de longa data e que neste momento está consolidada e efectivada.

“Este protocolo que viabilizará o cofinanciamento de 90 mil euros da Cooperação Portuguesa, através do Instituto Camões ao “Projecto Pintura”, porque entendo que a requalificação de espaços públicos mais do que reabilitação física de edifícios e equipamentos, devolvendo espaços a quem deles os usufrui e cuida tem igualmente o mérito de promover a qualidade de vida dos residentes e visitantes”, constatou a diplomata portuguesa.

Na ocasião mostrou a sua satisfação pelo facto de a Cooperação Portuguesa ter se tornando nos últimos anos um parceiro determinante neste sector, apoio esse que se traduziu na viabilização de assistências técnicas de reconhecida valia nas áreas do ordenamento do território e da habitação numa cooperação estreita como o Ministério do Ambiente de Portugal através do Fundo Ambiental.

O projecto está orçado em cerca de 330 mil contos e será implementado num período de 1 ano.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos