Projecto Procultura PALOP-TL selecciona 25 artistas para residências artísticas na área da música e artes cénicas

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress) – O Instituto Camões informou hoje que no âmbito do concurso do Projecto Procultura PALOP-TL foram atribuídas 25 bolsas aos artistas de países de língua portuguesa e Timor Leste para residências artísticas na área da música e artes cénicas.

Segundo uma nota informativa publicada no site do Instituto Camões, os 25 artistas seleccionados nesta 2ª edição do concurso para atribuição de bolsas nas áreas da música e artes cénicas vão frequentar residências artísticas em diversos países como Brasil, Espanha, França, Indonésia, Itália, Malásia, Portugal e Uganda, juntando-se aos 12 artistas já contemplados com este apoio em 2019.

Este concurso, de acordo com a mesma fonte, enquadra-se no âmbito do projecto da União Europeia Procultura PALOP-TL, através da parceria entre Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, IP e a Fundação Calouste Gulbenkian.

Tem como objectivo atribuir 60 bolsas a artistas dos PALOP e de Timor-Leste, nas áreas da música e das artes cénicas, para apoiar a frequência de residências artísticas em países vizinhos, na Europa, Brasil ou Austrália, e entre outros.

A mesma visa ainda contribuir para o conhecimento de outros contextos de criação contemporânea, incentivar o seu reconhecimento e a sua circulação internacional, adiantando que nessa edição foram atribuídas duas bolsas a artistas de Angola, seis a Cabo Verde, uma a Guiné-Bissau, uma a São Tomé e Príncipe, seis a Moçambique e nove bolsas a artistas de Timor-Leste.

Ainda segundo a nota, os resultados do concurso podem ser consultados em: https://gulbenkian.pt/grant/procultura-apoio-a-mobilidade-internacional-de-artistas-dos-palop-e-timor-leste-2/.

Em 2019, 12 artistas de Angola, Cabo Verde e Moçambique foram seleccionados para a frequência de residências na África do Sul, Brasil, Quénia e Portugal, com apoio do referido projecto.

O Procultura é uma acção financiada pela União Europeia que tem como objectivo contribuir para o aumento do emprego em actividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e Timor-Leste.

Tem como objectivo contribuir para a criação de emprego em actividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e em Timor-Leste. Está enquadrada pelos princípios do Consenso Europeu em matéria de desenvolvimento nomeadamente, pelo reconhecimento de que a cultura favorece «a inclusão social, a liberdade de expressão, a formação da identidade, o empoderamento civil e a prevenção de conflitos.

CM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos